quinta-feira, 29 de dezembro de 2011
Eu não viajo nas férias, meus pais sempre trabalharam quando eu estava em recesso e por isso nunca viajamos nessa época do ano. Pode parecer triste, mas nunca o foi para mim, exceção quando voltávamos as aulas e eu era obrigada a escrever (ou desenhar) como minhas férias haviam sido. Com essa história de ficar em casa eu aprendi a me divertir aqui mesmo, no meu mundo. 
Nas férias eu posso ir dormir a hora em que quiser, posso comer o quanto eu quiser, as tardes parecem mais longas e mais quentes (ou frias), posso passar mais tempo em frente a essa tela estranha e brilhante que prende minha atenção e que me dá possibilidades de viajar pelo mundo sem sair do lugar. Falando em viajar pelo mundo, nas férias eu disponho de mais tempo para ler sobre o que gosto de ler. Desde de Drácula de Bram Stoker até Persuasão de Jane Austen. Posso ler livros bons, livros ruins, serie de livros, livros únicos, livros clichês... Posso ler todo e qualquer tipo de livro. 
Por dispor de muito tempo livre, posso brincar com meus irmãos. Soltamos bolhas de sabão por todo o quintal; dançamos e cantamos nossas músicas favoritas; assistimos todos os filmes que temos vontade; cozinhamos e aproveitamos todo o tempo que não temos juntos durante o resto do ano. 
Até mesmo a minha frescura por organização ganha espaço nesses três meses que tenho em casa. Meu quarto nunca pareceu mais espaçoso! Posso até mesmo tentar ser mais saudável, a regra da vez é beber dois litros de água por dia. Estou levando essa regra tão a serio que não aguento mais ver essa garrafa de água que fica ao meu lado na escrivaninha. 
Férias são ótimas e com o tempo eu aprendi que não importa se você viaja ou não. O importante é saber aproveita-la da melhor maneira possível, fazendo poucas coisas, porém coisas divertidas. 



Boas Férias para você.
quarta-feira, 28 de dezembro de 2011
Mais um final de ano se aproxima. O natal se foi, muitos sorrisos e abraços foram dados. Agora só falta a terra completar mais um volta ao redor do sol e pronto, mais uma mudança acontece em nossas vidas. Mais um ano se completa e se vai assim como os outros. 
Existem aquelas pessoa que vão ao mar pular certo número de ondas, outras irão se vestir de branco para fazer mais apelo pela paz em nosso mundo. Não sou muito de gostar de ano novo, de fato, tenho aquele pensamento de que se você não conseguiu completar o que desejava em 365 dias, não é em uma noite que tudo irá mudar. Se você não desejou paz ao seu irmão durante o ano inteiro, uma noite não compensará todas as outras. Sou muito realista em relação a esse "grande evento anual", mas não estou aqui para dizer o que penso sobre isso e sim o que você pode fazer sobre tudo isso. 
Não adianta fazer listas sobre o que você quer que aconteça, você deve fazer listas sobre o que você vai fazer no próximo ano. Se você quer emagrecer, então vá a um nutricionista e procure fazer mais exercícios físicos. Se você quer ter notas melhores (como eu também quero), estude mais, planeje seus horários e reserve algumas horinhas por dia para isso. Se você quer ser mais caridosa(o), procure programas de assistência de sua cidade ou bairro, procure saber como ajudar  quem mais precisa. 
Basta ter vontade de fazer, não só ficar desejando que as coisas aconteçam com você de uma noite para  a outra. Sonhar é bom e preciso, mas é necessário correr atrás do que se quer. Não é fácil ou simples, mas nem sempre o que é certo é fácil. 
Bom, eu gostaria de desejar um ótimo ano para vocês leitores. Foi muito gratificante entrar aqui e ver que várias pessoas lêem o que escrevo e se interessam pelo meu ponto de vista. Antes da "virada de ano" virei aqui mais uma vez. Mas desde já agradeço por tudo, é complicado manter o blog estando na faculdade e tudo mais, mas no ano que vem darei mais atenção a vocês. 
Obrigada... 


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011
Você já cogitou passar um dia inteiro fazendo só o que você quer fazer? Você já pensou em gastar um dia inteiro com você só porque você quer? 
Se você respondeu sim para essas duas questões, então sabe a sensação que eu tive hoje quando decidir fazer isso. Se você respondeu negativamente eu sugiro que faça isso. Quer maneira melhor de aproveitar as suas férias senão fazendo o que mais gosta de fazer? É bom sentir, pela primeira vez no ano que eu não preciso me preocupar com milhares de coisas para fazer e milhares de pessoas para conversar e ajuda-las a resolver os problemas delas. Hoje eu simplesmente tirei um "Day Off". 
Hoje eu ouvi minhas músicas mais dançantes, assisti o quanto de televisão eu quis, andei de um lado para o outro como se não tivesse coisa melhor a fazer. Escrevi, li, cantei, dancei, toquei violão, brinquei com meus irmãos. E posso afirmar que não há nada melhor do que um dia assim. 
Aproveite suas férias e tirei um dia para você. Se você não gostar pode vir aqui e reclamar.


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011
Desde pequena sempre gostei muito de natal, creio que por causa de minha mãe. Ela sempre teve o espirito do natal dentro dela, essa sempre foi a época favorita do ano. Todo ano, minha mãe coloca luzes de natal na frente da minha casa, na árvore e no presépio (somos católicos). Todo ano, eu durmo olhando para as luzes de natal que acendem e apagam lentamente me trazendo calma e esperança que só o natal traz. 
Amo ver essas luzes, o silêncio ao redor delas. E só o fato de elas parecerem felizes, me deixa feliz. O espirito de natal tem tudo a ver com isso. Essa é a época do ano em que podemos nos esquecer de todos os problemas que tivemos, podemos esquecer de todas as preocupações. Podemos nos preparar para a chegada daquele que tem o poder de nos salvar e assim podemos concretizar seu maio mandamento: Amar uns aos outros como a si mesmo. Nessa época podemos sorrir para os outros, temos mais e mais chances de compartilhar essa felicidade e esse amor que existe dentro de nós. 
As luzes são mais um atrativo, as luzes são só uma lembrança de que nossos corações devem ficar acessos durante todo ano e que nós podemos sim participar da salvação. Basta sorrir, amar e brilhar.


domingo, 11 de dezembro de 2011
Faz tempo que eu não encontro tempo para escrever sobre pensamentos que passam a mil em minha cabeça. Faz tempo que não posso, simplesmente, sentar em frente a essa tela para ficar a procurar imagens que repassem meus sentimentos momentâneos. Faz tempo que não tenho tempo para não pensar em nada e ser feliz só por isso. 
Descobri que é bom escrever sobre o que se gosta, mas que não é tão prazeroso quando você precisa que alguém tenha dito algo sobre aquilo anterior a você. Quem garante que você não pensou sobre aquilo antes de outra pessoa publica-lo? Bom, esse não é o meu ponto hoje. Meu ponto é que descobri que gosto de escrever, seja em escrever para escrever (de modo a que posso dizer o que vier em minha mente e como vier em minha mente), seja por escrever projetos e trabalhos. Gosto de minha profissão, escrever sobre ela só aumenta o meu amor pelo o que poderei fazer no meu futuro.
Gosto de escrever sobre o tempo, sobre as palavras que não me abandonam em momento algum. Sobre as nuvens que vejo da janela do meu quarto, sobre as fotografias que vejo em blogs e sites. Sobre como meus irmãos são divertidos e como isso pode enlouquecer minha mãe um dia. Sobre como gosto de minha amizades e como sinto falta delas quando estou distante. Sobre como a luz do sol bate lá fora ou sobre a ausência de luz solar lá fora. Enfim, gosto de escrever sobre o que "me der na telha". Porém tenho medo de perder isso agora que comecei, de fato, minha carreira como cientista. 
Espero não perder nada disso, pois faz parte de mim.

Trilha sonora da vez: Catch me - Demi Lovato.
quarta-feira, 7 de dezembro de 2011
Final de ano, época de festas e celebrações. Os corações enchem-se de felicidades  e esperança enquanto espera-se pela união e realização de sonhos. Não, final de ano não é nada disso. Final de ano para uma estudante como eu é tempo para estudar, passar noites em claro com o objetivo de finalizar todo o trabalho duro que tivemos no decorrer do ano letivo. 
Entendo que alguns alunos deixam tudo para o ultimo momento e depois ficam desesperados para concluir o que não fizeram. Por outro lado, existe alunos que estudaram durante todo o ano e querem, simplesmente, fechar o ano com chave de ouro. Nesse ano, posso dizer que faço parte do segundo time. Foi difícil, mas aquele desejo bobo de ser uma boa aluna inicio-se nesse ano e eu realmente me sinto satisfeita. 
Vamos, agora, para o lado ruim de ser uma boa aluna na faculdade. 

  1.  O seu circulo de amizade diminui drasticamente. 
  2. Você percebe que acaba por não ter tempo para você mesma. 
  3. Você percebe que deixou de fazer muitas coisas que gosta de fazer só para adiantar algo de sua vida acadêmica. 
  4. Quando você não tem trabalhos, provas ou lições se sente vazio. 
  5. Você começa a achar o laboratório e a biblioteca os melhores lugares do mundo. 


Agora o lado positivo: 



  1. Aqueles amigos que deixaram de falar com você, você acaba percebendo que eles não eram seus amigos de verdade. E acaba por conhecer pessoas que compartilham da mesma ideologia que você. 
  2. Mesmo com as dificuldades, você acaba por tomar conta de si mesmo e para de se preocupar com o que os outros pensam e se veste da maneira que te deixa mais confortável. 
  3. Televisão, redes sociais, baladas elas passam a ter menos importância e você percebe que terá o tempo certo para tudo isso quando se formar.
  4. Você não consegue mais ficar sem fazer nada, e quando não tem nada dá um jeito de fazer o que gosta. 
  5. Você passa sim, mais tempo no laboratório e na biblioteca, mas isso não quer dizer que você só estude. 
Bom, na verdade esse post foi escrito com o objetivo de fazer um paralelo com tudo o que eu fiz esse ano e com o que eu sinto após tudo. Não me arrependo de ter feito o que fiz e como fiz. Cada coisa que apareceu em meu caminho foi colocado ali por Deus, então não há com o que reclamar. Sou muito grata por todas as correrias, estresses, dores de cabeça, raivas e afins que tive. E estou pronta para mais um ano. Agora preciso ir, afinal tenho um projeto para terminar. 



quinta-feira, 1 de dezembro de 2011
As pessoas falam, riem, gritam. A música toca, a televisão conta piadas infames no ultimo volume. Será possível que só eu quero um pouco de silêncio? Sei que tudo me deixa fora do eixo por esses dias, mas sei que tudo isso passaria se eu pudesse ficar em silêncio e sozinha por um tempo. 
Me irrito com tudo, me irrito com todos. Creio que estou a ponto de explodir, cheguei ao meu limite. Será que ninguém nota? 
Preciso de um tempo só meu, de um tempo só para mim. Fechar a minha boca e silenciar a minha alma. Não quero mais opiniões e nem omissões. Não quero palpites e risadas. Não quero ironia, falta de paciência e nem que as pessoas falem para eu sorrir quando não quero. 
Eu só quero que o mundo pare, quero ser capaz de ouvir só o meu coração batendo. Quero ouvir minha respiração indo e vindo, sem ter de me preocupar com o que há ao meu redor. 
Eu só quero um pouco de silêncio!


terça-feira, 15 de novembro de 2011
Ouvindo música, tentando pensar em algo para escrever. Quando percebo que há inspiração logo do lado de fora de minha janela. Já lhes disse como é bom ver os raios de sol através da cortina, mas creio que nunca lhes expliquei como é mágico ver a chuva cair. Cada gota cai consecutivamente, sem elas as plantas jamais cresceriam. Sem elas, talvez, nunca seria possível saber como é bom sentir esse vento gelado na cara. Não saberíamos como é bom dormir ouvindo essas mesmas gotas batendo contra o vidro da janela. 
Gosto de chuva, pois com ela posso observar a beleza de um arco-íris. Gosto de chuva, pois com ela parece que todo o mundo chora comigo quando me sinto mal. Gosto de chuva, mesmo que ela chegue a atrapalhar minha ida a qualquer lugar. Gosto de chuva, pois com ela vejo todo uma beleza sem sair de minha cama. 
Chuva que embala meus sonhos mais profundos. Chuva que traz a vida de modo calma e gentil. Chuva que mostra ao mundo que ser triste não é tão ruim assim. Chuva que é bela, mesmo não sorrindo como os raios solares. 
sexta-feira, 4 de novembro de 2011
Posso mudar minha roupa, mudar meu cabelo, ter uma atitude diferente. Não sou como a maior parte das meninas que você conhce, nem mesmo quero ser moldada pela midia que tenta o tempo todo dizer como tenho que me vestir e como tenho que me portar.
Gosto de sorrir, gosto de chorar, não encondo que tenho medo de perder quem eu amo. Não tenho medo de dizer que não gosto de certos tipos de roupa, não gosto muito de vestido, não uso maquiagem. Porém acho lindo algumas amigas minhas que utilizam maquiagem.
Gosto de ser assim, gosto de comer, de conversar e de falar sozinha também. Gosto de sonhar e de encontrar pessoas com o mesmo sonho que eu. Gosto de dizer que não, só para dizer que sim logo em seguida. Gosto de ler e de escrever (um pouco óbvio). Gosto de música, de preferência a boa, mas canto músicas horriveis só para rir no final delas.
Sou assim, várias em uma só.




quinta-feira, 3 de novembro de 2011
Pequenas coisas podem me fazer feliz. Pequenas coisas podem mudar a minha vida e pequenas coisas podem fazer a diferença. Um pequeno gesto, como um simples sorriso, pode alegrar um dia terrível de alguém que você nem mesmo conhece. 


Um sim pode mudar o destino da sua viagem, mudar a sua vida, mudar seu pensamento, sua concepção sobre o mundo. Esse sim pode valer a pena ou não, te alegrar ou decepcionar. Porém ele vai mostrar a você o quão forte você e quanta esperança ainda resta em seu coração. Se vai ser bom ou não, só depende de você. 


O fato de você se afastar de quem você, pode lhe assustar no primeiro momento. Mas será provado que você é capaz de andar com as próprias pernas. Você perceberá que, embora a saudade seja complicada de lidar, ela não é o que fará você desistir. 



Com o tempo você verá que pequenas coisa fazem você sorrir e que pequenas coisas fazem você chorar. Se isso é bom ou ruim, depende só de você.  Com o tempo, você perceberá que existem pessoas que permanecem em seu coração, pessoas as quais vale a pena lutar, pessoas que te fazem sorrir mesmo quando você quer chorar. Com o tempo você perceberá que não importa quanto tempo passe você ainda se sentirá feliz quando ouvir aquela música que sua mãe cantava para você. 


Com o tempo você verá que o mundo é feito de pequenas coisas e que só cabe a você decidir se elas serão boas ou ruins. 
quarta-feira, 2 de novembro de 2011
Eu vi você agindo como se nossa amizade fosse apenas por interesse. Eu percebi que minhas lágrimas corriam por meu rosto sem você sequer se preocupar em enxuga-las, enquanto eu movia muros e fundos para que você nunca se machuca-se. Foi isso que eu senti e então eu fugi. Corri por milhas e milhas sempre rezando e pensando que isso jamais me aconteceria. 
Eu sofri em segredo. Vi você sentir ciumes. Vi você pensar que eu estava trocando você, quando na verdade eu estava apenas amadurecendo, crescendo. Não sou mais aquela que você deixou aos pedaços, não sou mais aquela que carrega duvidas e dores no coração. Deus me encontrou e mandou anjos para juntar meus pedaços, Ele me montou novamente, e me mostrou que posso sim ter pessoas que me entendam pelo o que sou. É possível conhecer pessoas que pensam como eu, pessoas que agem como eu sem me julgar pelo o que tenho e pelo o que aparento ser. 
Sei que você pode se sentir mal, sabendo de tudo o que pensei sobre você nesses últimos tempos. Mas tudo é simplesmente o que você transmitiu para mim. E agora? Será que você pode entender como eu amadureci? Não sou careta, porém não vou mudar!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011
Eu sinto falta da sua risada, das nossas risadas. Sinto falta das nossas conversas a meia-noite, dos nosso segredos. Por que será que sinto falta de algo que nunca foi verdade? Você nunca foi sincero de verdade. 
Sinto falta dos nosso segredos, do mistério que nos envolvia. Sinto falta das duvidas, dos planos. E agora tudo tornou-se frio, você é frio. Como eu nunca percebi? Como fui burra ao ponto de não notar que fui apenas um brinquedo em suas mãos? Você é daqueles que, com tantos brinquedos no mundo, prefere brincar com aquele que mais se machuca, com aquele que é mais difícil de concertar. E, infelizmente, quem sai quebrada dessa brincadeira de mal gosto fui eu e meu coração que, hoje, se encontra em mau funcionamento. Porém, estúpida sou eu que me importo com o que você pensa, com o que você faz ou deixa de fazer. Estúpida sou eu, por pensar que ainda existe a chance de um dia você voltar para mim!


segunda-feira, 17 de outubro de 2011
E nesse momento penso que o me falta é aquele abraço, aquela risada, o momento, o tempo, o sorriso, o cheiro, o carinho, o sentimento, é você. 
Depois de dias pensando, sentindo esse vazio dentro de mim e sem mesmo desconfiar que a causa era você. Sem parar para pensa, simplesmente a viver e correr. Senti falta de você. Senti falta de cada momento junto, de cada mínima coisa que você mesmo me disse que no momento certo fariam a maior diferença em nosso passado. 
Você costumava dizer que éramos únicos, que éramos diferentes e eu, inocente em minha pequenez, não notei que cada palavra era verdadeira e sincera, dita de um coração diretamente para o outro. Eu me acomodei em você, e pensei que essa distancia não seria complicada de lidar. Porém ao acordar hoje e lembrar que não te veria foi o que acabou com o meu dia. Sem você aqui o céu parece cinzento, as nuvens aparentam cobrir o sol, as flores parecem adormecidas e sem perfume e tudo ao meu redor parece sem sentido. 
Quando você volta para o meu abraço? Quando vou perder esse vazio em mim? 


segunda-feira, 10 de outubro de 2011
Depois de um tempo descobre-se que não há mais tempo para fazer aquilo que acalma o coração. Logo após um longo período, fica claro o que os adultos querem dizer quando falam que 24h é pouco para um dia só. Hoje percebi que não sou mais uma criança e que, as vezes, nem mesmo penso como uma. Embora, em meu coração, ainda bata aquele sentimento puro que existe no coração de cada criança. 
Sinto falta da inocência, tento ao máximo me apegar a ela, mas assim que se perde um pouco torna-se complicado não perdem o restante. Tudo requer um pouco mais de vontade, de perseverança. Tudo torna-se mais complicado assim, mais complicado a medida em que é necessário mais do que o expontaneo para ter-se o que deseja. As pessoas passam a exigir mais dos outros, você acaba exigindo mais de você e do que você é capaz. O tempo torna-se insuficiente para o que você pensa que precisa fazer e para o que você realmente deve fazer. 
As vezes penso que tudo não passa de um belo disperdicio e que devíamos viver a vida com uma festa sem fim e sem culpa. Lembro-me que devo ter amor há tudo o que faço para que essas coisas, de fato, tornem-se a minha tão sonhada festa. Porém, não são todos os momentos formados por festas, em alguns momentos nem mesmo existem motivos para comemoração e graças a esses momentos que posso, realmente, entender a felicidade que existem em mim. 
Por que não podemos voltar e nuca descobrir o quão curta nossas vidas são? Poderia eu voltar a minha infância e desfruta-la por mais alguns anos? Ou, quem sabe, voltar a minha adolescência não tão distante e aproveitar minhas tardes tediosas e minhas conversas incessantes? Não. Não a partir do momento em que se descobre que o tempo é inflexível e insubstancial, quando se descobre que quando se é necessário o tempo passa devagar perante os olhos e quando desnecessário passa-se rápido como o vento em dia de tempestade. 

segunda-feira, 5 de setembro de 2011
Não venho pensando em cartas de baralhos, e sim em cartas escritas a mão. 
Eu não vive muito na época em que era-se necessário escrever a mão para se comunicar com pessoas muito distantes. Hoje é tudo tão "automático", basta com que você sente em frente a uma tela e aperte botões que contem letras.O que você escrever torna-se legível com uma facilidade imensa, caso você esteja chorando não haverá marcas de suas lágrimas. Caso você esteja comendo algo e derrubar, mesmo assim não haverá marca alguma no "documento final". Um pouco chato não acha? Parece até que não contato daquele que escreve com aquele que lê. 
Cartas escritas a mão lembram muitas coisas, elas guardam cheiros, amassos, lágrimas e muitas outras coisa. Elas levam consigo um pedaço de cada pessoa que entra em contato com ela. Carregam-se sentimentos que podem ser palpáveis, se é que você me entende. Gosto de cartaz e sinceramente, gostaria de poder troca-las com alguém. 


domingo, 28 de agosto de 2011
Aquele lugar onde a calma reina, o lugar onde não há problema gostar do que eu gosto. O lugar que não há problema eu ser quem eu sou. Você se lembra do lugar que só o seu coração conhece? 
Pode parecer abstrato, mas faz muito sentido. Cada um de nós deixou para trás ou ainda há de encontrar o lugar que podemos chamar de nosso.As vezes esse lugar não é uma localidade especifica, as vezes esse espaço é uma música, um filme, um livro. Algum lugar em que podemos sentir a brisa tocar nosso rostos, lugar em que podemos sorrir sem medo de ser feliz. 
Se você é uma pessoa que não consegue exteriorizar seus sentimentos, se você é alguém que crê que não exista tal lugar em seu coração gélido e vazio, saiba que esse local existe e faz parte de você. Basta que você compreenda e abra seus olhos para ver ou que você perceba em seu coração aquela ponta de calma e feliciadade que há tanto você deseja alcançar. 
O mundo nos mostra o tempo todo que para ser feliz é necessário várias coisas, mas eu posso dizer a você que as coisas não são assim. Minha vida não é fácil, é complicado tentar se entender e se encontrar. Porém eu sempre termino minha semana sem medo algum de ser feliz. Sim, eu tive meus momentos de raiva e frustração, eu tive meus momentos de infelicidade e descrença. Mas agora vejo que o meu coração está no lugar que ele mais aprecia e que mesmo com todos os pesares vale a pena continuar. 



sábado, 20 de agosto de 2011
Abro meus olhos e não sei o que estou ouvindo ao certo. Há uma grande movimentação em volta de mim e tudo é muito confuso por conta da música e do barulho. Minha mente parece totalmente fora de sintonia, não há espaço para mim e meus pensamentos, não há espaço para o som e o silêncio que brigam dentro mim. Não compreendo esse conflito, as vezes vejo um momento de paz e de repente tudo aparece. 
Olho para fora e tudo parece calmo novamente. Tento ao máximo aproveitar a calmaria, pois não sei até quando as coisas serão assim.O vento bate no meu rosto e leva minhas preocupações embora de mim, enxergo melhor quem está a minha volta e o que elas pensam. Meus pensamentos são mais felizes e tudo é mais do que paz e silêncio. 
Quando creio que estou bem e não serei mais abalada o barulho volta pior do que antes, parece até que ele é capaz de me enlouquecer. É terrível, não me deixar ver o que acontece a minha volta. Me deixa tonta, enjoada. Não consigo pensar assim, tudo desmorona  e sinto como se estivesse sendo sugada para um poço fundo, escuro e sem luz alguma. 
O mundo é uma completa bagunça, mas existem momentos de silêncio que devemos aproveitar. 


sábado, 6 de agosto de 2011
Como se eu nunca tivesse tido a chance de livrar de você, como se eu nunca tivesse tido a chance de tirar toda essa dor que você deixou em mim. Agora consigo olhar para o futuro a minha frente, agora vejo com clareza o que antes as lágrimas não me permitiam. Eu não vou mais chorar, não vou mais me deixar levar por você e pelo o que você diz sobre mim! 
Sinto que tenho forças para me levantar, tenho forças para correr e sorrir como se eu sempre o pudesse ter feito. Vá corra, vá para bem longe de mim, sei que você não ganhará nada com a minha nova mudança. Você não ganhará nada com o meu novo jeito de ser! Mas, pela primeira vez, eu não penso em você. Penso em mim e vejo que não há nada de errado pensar em mim um pouco. Agora sei que posso sorrir sem medo, sei que mesmo com algumas partes ainda machucadas eu ainda tenho forças para me manter de pé em frente a toda a multidão que deseja ver a minha queda. 
Eu vou para o único lugar seguro para mim, meu coração e minha mente estarão a salvo lá e não há nada que você possa fazer para me deixar daquele jeito novamente.

sábado, 30 de julho de 2011
Por que é tão importante ter liberdade? Já faz anos que escuto pessoas, principalmente adolescentes, dizendo que o que mais querem é liberdade. Mas o que há de tão especial nessa tal liberdade?O que faz com que tantas pessoas a utilizem como desculpa para tantas coisas erradas que fazem no decorrer de suas vidas? 
"A sua liberdade termina onde começa a do outro", é o que dizem. Mas será mesmo que é o que acontece? Eu tenho certeza que não. Não estou aqui a dizer que é errado almejar sua própria liberdade, estou dizendo que é errado a utilizar como desculpa para idiotices que fazemos. Já vi pessoas machucarem outras pessoas por conta dessa estúpida liberdade, ou pior, pelo pior jeito de se ver a liberdade. Graças a pessoas assim muitas já sofreram, muitas já morreram. 
Não eu não quero essa sua liberdade que destroi o que mais amo, que quero a liberdade de ser quem sou sem machucar ninguém e sem ter medo de me machucar. Quero a liberdade para sonhar com o que quiser para o meu futuro sem medo de que você quebre meu sonho do mesmo modo que quebrou meu coração e minha confiança. Luto pelo mesmo sonho que mil pessoas pelo mundo já lutaram. E não vou desistir dele com tanta facilidade!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Aqui estou eu, sem me lembrar de, pelo menos, 40% de tudo o que vivi nesse anos todos. Como me sinto em relação a isso? Não tenho certeza ainda, é complicado. É estranho para mim pensar que já vivi 19 anos, 19 anos inteiros sem pular dia algum. Embora, tenha parecido que não vivi alguns desses dias, embora pareça que tenha vivido com intensidade maior do que a devida alguns desses dias também. 
Sei que apanhei muito, de tudo na verdade. Sei que sinto falta de muitas coisas, mas sei também que não me arrependo de nada. Você achar estranho eu dizer que não me arrependo de nada, porém, olhando agora, cada decisão minha, seja ela boa ou ruim, me trouxe até esse momento e eu gosto dele. Hoje eu posso dizer que tenho uma família maravilhosa que me ama pelo o que sou. Tenho amigos mais do que perfeitos que foram colocados em minha vida por Deus ou pelo o tempo e que caminham junto comigo sem se importar com meus defeitos que, por um acaso, são muitos. Eu sou eu mesma e não tenho mais medo de admitir, mesmo os meus defeitos. 
Eu tenho, hoje, 19 anos de pura burrice, ignorância, felicidade, irritabilidade, sinceridade, certa dose de maldade,de muitas risadas, de muitas lágrimas, de muitas ofensas, de muitos tapas na cara, de muitas quedas, de muitas criticas, de muitas ideias, de muitas palavras, de muitas músicas, de muitos filmes, de muito Harry Potter, de muitos livros, de muitas aulas, de muitos problemas matemáticos, de muitos verbos conjugados, de muitos adjetivos, de muitos numerais, de muitos termos técnicos, de muitas mudanças, de muitas batalhas, de muitos sonhos, de muitos desejos, de muitas rezas e preces, de muitos sim, de muitos não, de muitos talvez, de muito amor e eu devo tudo isso aquele me criou e que cuida de mim! 
quinta-feira, 28 de julho de 2011
"Todos os anos acontece a mesma coisa" dizia ela enquanto sua ama terminava de arrumar-lhe os cabelos.
"Mas, senhorita, o que podemos fazer?" perguntava a ama. 
"Podemos nunca mais comemorar coisa alguma, seria ótimo parar de fingir que nada de ruim nos acontece." Respondeu-lhe a menina. 
Todos os anos, naquela mesma data, sua família realizava um baile de mascaras. Quando pequena para ela era um unfortunio ter de sair mais cedo da festa, dizia que era um absurdo ter que se deitar quando todos estavam a se divertir. Mas muitas primaveras se passaram e sua mente começou a pensar diferente, a grande mudança acontecerá no ultimo ano, quando seu coração foi roubado e quebrado por um jovem arlequim. 
"Não quero ir!" Gritou ela para quem quisesse ouvir. Porém reclamações de adolescentes nunca são ouvidas e por isso foi obrigada a ir com a desculpa de que, talvez, aquele jovem nunca mais aparecesse na festividade. 
Mascaras, risos e dança. Foi tudo o que ela encontrou quando desceu as escadas em rumo ao tão indesejado baile. Como poderia ela se divertir sendo que cada detalhe lhe lembrava aquela noite? Como poderia ela sequer sorrir sem nem mesmo ter um coração? 
A noite corria e após um longo tempo, ela encontrou-se rindo das brincadeiras de seu irmão mais novo. Tudo parecia calmo novamente, parecia-lhe até que o coração havia voltado ao lugar, parecia que, na verdade, seu coração nunca havia saído do lugar ou que nunca lhe ocorrerá dano algum. De repente em meio aos rodopios e risadas surge uma mascara que a surpreende. Ela para de dançar e decide se recolher, talvez tenha sido a bebida que já lhe subia as faces ou o cansaço de tudo. 
A caminho cruza-lhe um sorriso zombeteiro por trás da mascara e uma mão lhe leva novamente a dança. Hipnotizada pelos movimentos e pela a incerteza ela se deixa levar. Uma volta, duas voltas, ou até mesmo três, ela já não contava mais. Lábios sussurram ao seu ouvido, ela responde dizendo que não quer mais, dizendo que já se machucou demais naquela brincadeira. 
"E se não for mais uma brincadeira?" Pergunta-lhe
"Não importa, eu não vou me machucar novamente." Responde.
"Não quero que você se machuque, eu nunca quis isso." 



quarta-feira, 27 de julho de 2011
Vontade de colocar uma música animada para tocar no ultimo volume sem nem mesmo me preocupar com o que os outros pensam sobre a música ou sobre minha atitude. Por que nos importamos tanto com as outras pessoas e com o que elas dizem? Não devemos ser únicos e nos amarmos pelo o que somos? 
Aquela batida faz meu corpo se movimentar de modo não convencional. Se sou boa dançarina? Creio que não, mas no presente momento não me importo muito com isso. Se eu bebi? Não, não preciso de "incentivos" para dançar sozinha em meu quarto. Levanto minhas mãos junto com a música, pulo, giro e um mundo novo se forma a minha frente. Eu canto, danço e me parece que não tenho medo de mais nada. Danço sem ter a certeza do que vira a seguir, minha playlist é contagiante quanto os hits da minha infância. Escuto, de uma vez, todos aqueles que um dia me disseram que a vida é difícil, mas que vale a pena se divertir de vez em quando. 

terça-feira, 26 de julho de 2011
Você já sentiu falta de alguém? Já sentiu falta do tempo que passou com essa pessoa? Eu já! Sinto a todo o tempo, a cada instante mesmo que minha mente não pense nisso. Você já pensou que pode haver uma pessoa no mundo que te conheça tão bem quanto você mesmo? Você já reparou que essa pessoa te conhece muito bem mesmo sem te ver com frequência há 5 anos? Essa pessoa conhece meu coração e minha mente, sabe do que sou capaz de gostar e do que vou odiar sem nem mesmo estar comigo todos os dias.
Hoje eu pensei em você Felipe, ouvi uma música e pensei em você. Voltei no tempo, voltei em todas as vezes que você me ouvi reclamar ou rir, em todas as vezes que vi você amar ou odiar alguém. Sinto sua falta sabia?! Eu daria de tudo para ver como você está agora, para ver como anda a sua vida de bailarino e como a Broadway vai te amar quando ver você no palco. Você ainda tem os mesmo sonhos? Ou eles aumentaram? Você ainda vai para a Disney comigo? Você ainda gosta daquelas musicas? 
A cada dia é complicado. É complicado viver longe de meus pais, é complicado não ter pessoas que me conheçam tão bem quanto você. Mas eu tenho ido bem. Gostaria de saber se você tem se dado bem também. Uma novidade? Conheço uma menina que foi bailarina antes da faculdade, ela é só um ano mais velha do que eu e me lembra você até certo ponto. Creio que é por isso que eu e ela nos damos bem. Toda vez que converso com ela penso que você adoraria estar ali, junto de nós duas conversando e rindo. 
Sinto sua falta, sinto falta da magia que há em nós. Sinto falta daquele brilho que aumenta quando estamos juntos. Mas sei que falta pouco para nós dois, falta pouco para cada um ver o sucesso do outro e é como dizem: amizades de verdade resistem ao tempo e a distancia. Nunca se esqueça, pois eu nunca vou me esquecer!
Para mim é incrivel
quarta-feira, 20 de julho de 2011
Eu nunca tive muitos amigos, nuca tive muitas pessoas que gostassem de mim. Por um longo tempo esse fato me assombrou, mas com o passar dos anos eu percebi que quantidade não significa qualidade e que ter poucos amigos, ou ter apenas 1 é mais do que suficiente para uma pessoa como eu. 
Com o passar dos anos tive amizades que se fortaleceram nas dificuldades e amizades que pereceram mesmo na felicidade. Não foi fácil passar por muitas coisas que passei sem amigo algum para te ajudar a levantar. Porém tenho certeza de que fiz o fardo de algumas pessoas se tornar mais leve! 
Sempre me doei muito em amizades, mesmo naquelas que não valiam tanto a pena. Mas não me arrependo, pois, para mim, amizade é isso se doar. Amizade é ajudar mesmo quando não se tem forças para ajudar a si mesmo. Não acho errado eu me machucar para que amigos meus sejam um pouco mais felizes. Não acho errado chorar para ver um sorriso no rosto de outro amigo. Não acho errado se esforçar, por aquele que te quer bem. Eu tenho amigos que fariam e fazem por mim tanto quanto eu faço por eles. E é por conta de amigos assim que hoje eu não me sinto tão sozinha!

segunda-feira, 18 de julho de 2011
Durante esse tempo todo meu coração desejou por você, mesmo sabendo que você jamais voltaria para mim. A cada segundo olho para aquela mesma porta e imagino você entrando por ela, sorrindo para mim. A cada mínimo barulho eu penso que pode ser você, até mesmo acordo durante a noite pensando ter ouvido você na sala assistindo TV e reclamando por ter insónia. Todo momento penso que não deveria ter acabado daquela maneira e que não deveria ter deixado você ir, pois deixar você sair da minha vida foi o maior erro que eu já cometi. 
Sou muito orgulhosa e muito burra também, caso contrario já teria ido atrás de você. Já teria te dito o quão estúpida sou por ter deixado tantas coisas e pessoas entrarem em nosso sagrado relacionamento. Me arrependo tanto de cada palavra ridícula que saiu de nossas bocas naquela noite, se eu pudesse trocaria cada uma delas por beijos e abraços. Me arrependo de não ter saído correndo atrás de você quando tive chance, me arrependo de não ter ouvido suas desculpas quando elas foram ditas. Não há nada que me destrua mais do que saber que você não está mais aqui.
Cada batida de coração me lembra você, cada perfume me lembra o seu e cada raio de sol me lembra o seu sorriso. Por que é tão difícil viver sem você? Sei que ambos cometemos erros, mas sei o que o maior erro foi justamente o meu e eu, cega de arrogância, não pude ver que estava a perder o grande amor da minha vida. Perdi você por nada e isso machuca. 
Não escrevo na esperança de te ter de volta, seria um absurdo, escrevo para mostrar o quão ignorante eu fui e eu assumo isso, assumo que sinto sua falta e que te amo mais do que amo a mim mesma. Aprendi a ser feliz vendo o seu sorriso e percebo agora o quão infeliz você foi quando estava comigo!

Sinto falta de você aqui, comigo.
sábado, 16 de julho de 2011
Toda vez que sento em frente a essa tela, escrevo sobre amor. Histórias, poemas, contos e tudo mais o que existir, mas sempre com a mesma temática: Amor. Tenho certeza de que as pessoas pensam que vivo um relacionamento muito bom e por isso escrevo tanto sobre esse sentimento. Pelo contrario, não estou em relacionamento algum. Porém não estou aqui para reclamar que não tenho namorado, estou aqui para dizer o quão frustrada estou por não ter a capacidade ou a criatividade para escrever sobre outro assunto.
Entretanto é bem complicado não escrever sobre amor quando temos imagens e histórias nos rodando por toda a vida. O maior exemplo são filmes infantis, a maior parte deles terminam com um beijo. Não digo que não gosto, digo que seria bom variar as vezes. Mas, não sei se eu mesma mudaria o final de qualquer uma das magnificas histórias que formaram minha infância. Cada sentimento expresso naqueles filmes me fez ser quem eu sou hoje e encantam gerações e gerações de crianças dispostas a sonhar com um grande amor em sua vidas. Eu sonho, por que não eles? Enfim, amor é o sentimento mais forte existente. Amor é o sentimento mais descrito nos últimos e creio que não o deixará de ser. 
Por mais incrível que pareça acabei de escrever sobre amor novamente. Acho que nunca me cansarei de sonhar sobre isso e no fundo eu gostaria que o mundo tivesse mais desse sentimento desconhecido e indecifravel. Talvez assim o mundo seria um lugar melhor.

quinta-feira, 14 de julho de 2011
Olhando para traz vejo o quanto o crescemos, o quanto evoluímos nesse tempo. Nossos assuntos não são mais os mesmos, são semelhantes, mas não os mesmos. Não vejo isso como um defeito. Não gostamos mais das mesmas coisas e não nos impressionamos com tanta facilidade como antes. Sinto falta do tempo em que não tínhamos o que fazer, tempo que gastávamos com conversas e brincadeiras mais bobas e inúteis. Podemos dizer que nosso tempo foi bem gasto e que não nos arrependemos de nada feito. 
Olho nossas fotografias, vejo sorrisos em todas elas. Porém me lembro que tudo nem sempre foi risos, lembro de cada vez que secamos lágrimas uns dos outros e dissemos que melhoraria e que seguiríamos em frente. Estranho, mas esse conselhos amadureceram e se tornaram mais realistas. Entretanto ainda contém o poder de nos fazer parar de chorar.
Devo dizer que penso que deveria ter feito mais, devia ter aproveitado mais. Porém  olhando agora vejo que se pudesse voltar no tempo faria tudo exatamente do mesmo modo, eu faria as mesma burradas, as mesmas piadas, cometeria os mesmos erros, os mesmos acertos pois cada mínimo detalhe nos trouxe para esse momento. Não me arrependo de mais nada. E você? 
Cada lembrança que tenho de você, para sempre, ficará em mim. Você fez uma grande diferença em minha vida e tenho certeza que você continuará comigo.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quantas vezes essa semana você sentiu uma vontade imensa de tirar fotos de você mesma? Quantas vezes essa semana você sentiu aquela vontade de passar um batom na boca e quando o fez se sentiu linda, só por ter passado aquele batom? Quantas vezes você se olhou no espelho e se achou razoavelmente bonita? Quantas vezes você sorriu, mesmo que só um pouco, e achou que o mundo havia mudado só por isso?Quantas vezes você se olhou no espelho e pensou que estava bem sem mesmo ter passado nada? Quantas vezes você cantou alguma musica e se sentiu bem? Quantas vezes você sentiu o sol bater em seu rosto e fechou os olhos para sentir aquele calor? 

Quantas vezes você chorou, simplesmente por chorar? Quantas vezes você já se achou menos do que alguém ou do que algo? Quantas vezes você já não desejou ser aquela garota? Quantas vezes você já pensou que se tivessem roupas mais bonitas ou sapatos mais bonitos ou, até mesmo, maquiagens melhore seria mais bonita? Quantas vezes você se olhou e se chamou de gorda? Quantas vezes você mecheu em seu cabelo e o chamou de feio? Quantas vezes você já não tentou algo só para tentar melhorar algo em você? 


Acervo pessoal.


quarta-feira, 6 de julho de 2011
Eu não sei como escrever isso, não sei nem mesmo como pensar nisso. Eu venho há tempos tentando não encarar essa situação e o que acontecerá depois dela. O que venho falar aqui hoje é sobre algo que você talvez ache ridículo para uma garota de 19 anos falar, talvez você entenda perfeitamente o que sinto. 
"All ends in July 15" essa frase pode não fazer sentido para você, mas para mim é a certeza de que não posso mais fingir que esse dia não chegaria. Faltam 8 dias para o final épico da maior serie que já foi filmada na face da terra. Exagero? Não tanto. 
Há uns 7 ou 8 anos atrás eu aquele tipo de criança que não lia nada, nem mesmo placas de transito. No Natal eu ganhei Harry Potter e a Pedra filosofal de presente do meu Tio. Devo ser sincera e dizer que não o li logo de cara, na verdade eu mal saia do primeiro capitulo pois o achava chatissimo. Um dia eu vi o trailer do filme na televisão e disse a minha mãe que gostaria de ver o filme. Naquele momento mal sabia eu que minha vida mudaria para sempre. Minha mãe me disse que só me levaria se eu terminasse o livro, pois nada mais justo eu ler o livro que deu origem ao filme. Então, eu sentei no chão da sala da minha casa e abri, convicta de leria até o final, Harry Potter e a Pedra filosofal. 
Penso agora que se eu soubesse o impacto que essas seria teria em minha vida, eu teria começado bem antes. Só para vocês saberem eu li o livro em 1 semana e ele foi o primeiro de muitos. 
Nos anos que se seguiram eu li vários livros, sempre lia demais ou para fugir de uma realidade descriminatória que vivia em minha escola ou para preencher o tempo entre um Harry e outro. 
Eu aprendi a ser uma pessoa melhor, eu aprendi a ter menos mesmo do destino e do que acontecia a minha volta. Aprendi a sonhar com um futuro melhor, aprendi a não ter medo de dizer quem sou, como sou e do que gosto. Quando terminei Harry Potter e as Relíquias da morte senti um êxtase seguido de um vazio, acho que essa parte ninguém entendeu muito bem. Desde então eu passei a me dedicar aos filmes, não deixei passei um sem que eu fosse ao cinema assistir. Chorei quando perdi a estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 1, mas aqui estou eu chorando em frente a esse computador tentando dizer para mim que não vai acabar, tentando me convencer que daqui há 8 dias a minha vida vai continuar e que eu tenho que seguir em frente pois todos vão seguir em frente. Mas é tão difícil dizer adeus a tudo o que me deu coragem para continuar até aqui.  Vocês podem achar mais do que ridículo tudo o que estou dizendo, porém é o que sinto. 
Sem essa serie de livros eu não teria encontrado a profissão da minha vida, eu não teria essa grande paixão pela leitura, por bibliotecas, não teria amigas tão divertidas, não teria um motivo para brigar em prol, não saberia que a minha família deve vir antes de tudo no mundo, não saberia que vale a pena dar valor a mim mesmo mesmo quando o mundo me diz o contrario! 
Obrigado a Joanne, por ter escrito a melhor serie de livros do mundo. Obrigado por ter motivado a minha infância e a minha adolescencia e por ter feito de mim a mulher que sou hoje. Obrigado a todos aqueles que fizeram parte dessa serie de filmes, obrigado a Emma Watson por ter dado vida  e forma a minha personagem favorita da serie. Obrigado a você que gastou seu tempo lendo isso e obrigado a você que estará comigo e com Harry UNTIL THE VERY END.


quarta-feira, 22 de junho de 2011
As vezes o mundo me parece uma tela em branco. Minha vida se torna vazia e monótona.... Tons de branco, cinza e preto são o que basicamente compõem a minha vida. Isso tudo um tanto complicado e chato de resolver. Mas de repente a vida me fornece um pincel, e logo depois as tintas aparecem. Minha tela aumenta de tamanho e eu percebo que não estou sozinha e que não sou a única perante a um mundo que ainda precisa ser moldado. 
Sinto que estamos juntos nessa, percebo que sozinha só posso preencher um pequeno espaço dessa grande tela em branco. Creio que cometerei erros conforme eu desenhe, afinal de contas não sou perfeita e cometo erros. Mas sei que meus erros podem ser apagados e que eu terei chance para corrigi-los. Você também pode fazer isso, você pode mudar a sua vida em poucas pinceladas. Basta ter a coragem para começar!


quinta-feira, 16 de junho de 2011
Depois da tempestade o sol brilha lá fora e em mim resplandece a certeza de que agora tenho forças para levantar. Muitas lágrimas já se passaram por meu rosto e eu sei, com cada vez mais certeza, que é aceitável abaixar a cabeça e deixar com que as lágrimas rolem. A cada segundo desse dia eu tive duvidas se seria certo eu sorrir levando em consideração tudo o que nos aconteceu, mas agora eu sei que devo sorrir e que tenho forças para tanto.
Agora compreendo cada uma de suas atitudes e cada coisa que fiz até aqui, me arrependo de muitas coisas. Porém sei que todas as minha culpas foram, são e serão perdoadas e que um coração maior e mais forte do que o meu é capaz de me curar de tudo. 
A cada passo a caminhada fica mais difícil, a cada segundo um desafio pula a minha frente e eu fico perdida muitas vezes. Mas a cada vez que levanto a minha cabeça eu percebo que sou forte e corajosa o suficiente para encarar o mundo que se abre a minha frente. 
Depois de tudo isso, somente agora, eu sei que tenho forças para abrir meus olhos e me levantar. 


terça-feira, 14 de junho de 2011
Eu sonhei com você, sonhei o sonho mais lindo com você. Eu te vi sorrir a cada vez que eu sorria, eu te vi chorar a cada vez que uma lágrima saia de meus olhos. Eu não sei como seguir sem saber que você está aqui, eu não sei como ser forte sem saber que você ainda está aqui. Eu deveria ter feito mais, eu deveria ter tentado mais. Sei que você não me culpa por nada que nos aconteceu ou pelo o que não nos aconteceu, mas ainda sim eu sinto. 
Sonhei que você me dizia que tudo estava bem e que eu não precisava se preocupar com nada. Sonhei com o seu sorriso e com a sua risada que há muito tempo eu não escuto. Não sei como lidar com as coisas agora, não sei se devo fingir para o resto mundo, ou se devo deixar as coisas irem.
Sonhei com você... E rezo para sonhar com você todos os dias para que eu não me sinta sozinha novamente.

Não sei em que pé minha vida está agora, as pessoas dizem que eu devo ter força para continuar e que não devo ter medo porque Deus me dá forças para tanto. Mas as vezes a carne é fraca e eu sinto como se o mundo ao meu redor está a desabar e que eu não consigo segurar nada! 
Sinto uma vontade louca de chorar, de gritar e de fazer com tudo volte a ser como antes. Sei que não é certo, mas é o que parte de mim deseja. Parte de mim anseia por saber que você que você está aqui e que tudo não passou de uma brincadeira de muito mal gosto. 
Como eu posso sorrir? Eu sei que devo, mas isso aqui é o desabafo mais profundo que existem em mim. Parte de mim diz que não há forças em mim para encarar essa situação e continuar seguindo em frente.
Eu não estou a escrever isso para que você pense ou saiba como estou nessa semana e o que aconteceu comigo. Escrevo aqui como um modo de escapar de toda essa situação, escrevo como uma válvula de escape para os sentimentos ruins que assolam o meu coração. 
Eu quero sorrir, quero ser forte o suficiente para ajudar minha família a passar por isso. Mas estando onde estou penso que, talvez, seja normal me sentir assim. Não sei se normal é a palavra certa para isso, mas eu me sinto tão mal. Meu corpo se sente mal e eu não sei o que fazer. Escrevo para parar de sentir ou apenas para amenizar essa dor.

domingo, 12 de junho de 2011
O que doi é a saudade, é saber que eu poderia ter feito mais, falado mais, me esforçado mais. Saber que eu poderia ter ido atras de ti para saber como você estava, para dizer como eu estava. Eu poderia ter te abraçado mais e mais vezes, poderia ter sorrido mais para você. 
O que doi é saber que você se foi antes de eu poder dizer até logo.
O que doi é dizer adeus, mas saiba que você sempre estará em meu coração. 


sexta-feira, 10 de junho de 2011
Me abrace forte como se fosse a ultima vez. Faça com que esse momento dure eternamente e que nada nos impeça de continuar. Finja que cada briga, cada discussão, cada imperfeição não passou de uma brincadeira que fizemos e que nada daquilo foi sério. Pense que cada palavra que eu disse, cada palavras que você disse quis dizer um Eu te amo e um Eu não consigo viver sem você. 
Por favor, não deixe que fofocas ou coisas que nos foram ditas acabem com isso que sinto por você. Não deixe de me olhar nos olhos e dizer o que se passa em sua mente, pois eu não posso lê-la. Não vou deixar de explicar para você o que se passa em mim, mesmo eu pensando que você deve ler minha mente e minha alma a cada vez que olha em meus olhos. 
Lembre-se de cada momento junto comigo, cada abraço, cada beijo, cada dia em que, simplesmente, olhamos um para o outro, de cada palavra, cada lágrima de felicidade, cada lágrima de tristeza, cada sim, cada não, cada riso, cada choro, cada segundo, cada dia, cada oi, cada até logo e cada mínima coisa que me fez e me faz gostar cada vez mais de ti. 
Por favor, nunca me deixe ir, pois não sei o quão difícil seria estar longe de uma pessoa que me faz tão bem. 



quinta-feira, 9 de junho de 2011
Deixe que as coisas aconteçam, deixe que a história siga seu rumo. Pare de tentar mudar o imutável e de tentar cobrir expectativas impensadas. Deixe ser o que deve ser, deixe acontecer como deve acontecer. Sei que é difícil entregar o nosso dia-a-dia e parar de se preocupar excessivamente com tudo o que nos cerca, mas se por um segundo, só um segundo você deixar com que cada momento seja da maneira que deve ser você verá que não vale a pena deixar que coisas tão pequenas te impeçam e olhar ao redor e ver. 
Pare e veja, a vida pode ser bela da maneira dela. Cada pessoa é bela a sua maneira, não deixe com que os outros te digam como ser ou como viver. Cada qual consigo mesmo é capaz de ser belo, inteligente e querido. Cada qual é capaz de amar o próximo e de deixar que este tenha liberdade suficiente para ser quem nasceu para ser. 
Chega de tentar mudar tudo. Chega de tentar ser o que não somos só porque alguém ou alguns nos o disseram. Seja você, deixe sua vida ser seguir o seu curso e você verá que tudo fica bem quando se deve ficar bem. E se as coisas ainda não estão bem é porque muito há para acontecer. 



quarta-feira, 8 de junho de 2011
Amigo é saber quando ajudar o outro. É saber quando o outro não está bem mesmo quando ele afirma dizer que está bem. É pensar em si e no outro nos melhores e nos piores momentos da vida.  Ser amigo é saber chorar e rir, sofrer e sentir. Dizer sem pronunciar uma palavra, é transmitir em um abraço aquele sentimento de calma e aquela mensagem de que tudo dá certo. É brigar sem querer brigar e fazer as pazes que, simplesmente, nunca pareceu ser perturbada. É estar lá quando o seu amigo pensa que está sozinho. É conversar sobre os problemas sem nem mesmo tocar neles. É ajudar não importa o quão difícil seja para si mesmo.
Eu aprendi assim e as pessoas ao me redor também. 

terça-feira, 7 de junho de 2011
Olho para meu blog e começo a pensar que ando escrevendo cada menos. Começo apesar que como posso escrever tão pouco sendo que penso tanto o tempo todo? Chega a ser frustrante um pensamento como esse. Sei que não deve escrever um livro como Moby Dick aqui, mas convenhamos que é ilógico digitar tão pouco quando se tem tanto a dizer. 
Na verdade, sinto como se tudo que deixo aqui é a essência de meus pensamentos. Não é preciso muitas palavras para descrever o que se passa dentro de mim, porém quando digo isso não quero dizer que sou fácil e simples de ler. Pelo contrario, olhe para mim e não saberá se meu sorriso é verdadeiro e se meu estresse é de mentira. Leia meu blog e saberá o que há em partes do meu ser.

segunda-feira, 6 de junho de 2011
Conecto meus fones de ouvido, coloco minha música favoritas e deixo com que belas vozes e melodias afastem você de meus pensamentos. As vezes penso sobre o que você deve pensar o tempo todo, então percebo que secretamente desejo eu ser o seu único pensamento. Porém vejo que essa é o pensamento mais egoísta que eu poderia ter em relação a você, de fato penso agora que nem mesmo sou digna de estar em seus maravilhosos pensamentos. 
Aumento mais um pouco o volume, troco de música. A angustia me acerta, penso se você se quer pensa em mim, e se você pensa em outra? Ou se você nem mesmo me nota a ponto de pensar em mim? 
Troco de música e deixo o som no máximo, meus ouvidos doem, mas penso que essa é a única maneira de não pensar em você; a única maneira de não sentir seu cheiro em mim, de não sentir meus lábios junto os seus. 
De repente a música para e ao meu lado só encontro um presente, um presente que eu tenho certeza que veio de você. 

domingo, 5 de junho de 2011
Nesse instante o mundo para e percebo que nada mais é como antes. Meus olhos se abrem e um mundo totalmente novo parece se abrir em minha frente. As cores são mais intensas e os aromas mais frescos. Tudo tem mais detalhes, o vento não parece mais tão frio e o sol já não me ofusca a visão. Pelo contrario, o vento que sopra em meus cabelos é macio como pluma e o sol brilha e aquece fazendo parecer que ainda é manhã. 
Tudo tão novo, tudo tão igual... Nesse momento o mundo para e percebo que tenho forças para seguir em frente. Percebo que não sou mais a mesma, percebo que cresci e que não tenho mais medo do escuro. Agora vejo o futuro a minha frente e sei que nada será capaz de me parar. Agora sei que tenho a coragem para voar.


sexta-feira, 3 de junho de 2011
Não adianta negar, meu estômago doí, minhas mão suam e tudo em mim diz que chegou o momento. Eu não consigo me controlar, meu desejo é de me jogar em seus braços e ser consumida por esse instante em que o mundo congela ao meu redor. 
Você me olha como se quisesse que nada mais no mundo te impedisse de fazer isso. Você caminha para perto, mas para várias vezes e faz com que meu coração dispare de maneira doentia. O pior é que você sabe  o efeito que causa em mim e aparentemente o faz de propósito. Sinto raiva de você por adiar, mesmo que por pouco segundos, tudo o que eu mais quero. Chegamos mais perto, rimos de nossa estupidez, olhamos um nós olhos do outro e percebemos que nada no universo pode nos separar agora. 

quinta-feira, 2 de junho de 2011
Como se fosse difícil sorrir, sei que não é fácil sorrir o tempo todo por conta dos obstáculos que aparecem no meio de nosso caminho. Mas se você parar para pensar (novamente), não deve ser tão complicado assim se libertar de certas coisas para ser feliz. 
Levante sua cabeça, olhe o sol que brilha e que não aquece tanto seu rosto por causa do inverno. Esse sol parece menos belo do que antes? Olhe para os lados, será mesmo que nenhuma dessas pessoas é bonita?Olhe ao redor, o que será que cada uma dessas pessoas pensa? Será que você é o único(a) que se sente sozinho agora? Será que cada um deles não pensa nas dificuldades de cada dia? De cada momento? Agora, procure um(a) garoto(a) quieto. Sim, esse(a) mesmo(a). Aquele poderia ser você, aquela poderia ser eu. Distraído, concentrado, com seus fones de ouvido para abafar o mundo barulhento ao seu redor ou para lembrar das pequenas coisas que o/a fazem feliz. 
Eu já disse antes, mas mesmo assim prefiro reforçar o mundo não para de girar e de te mostrar oportunidades para ser feliz. A vida é difícil, mas é suportável. São complicações que, com a ajuda das pessoas certas, podemos passar por elas e sorrir para a vida que está a nossa frente. 

Chega o momento em que se cansa de tudo, o momento em que nada parece ser certo ou dá certo a sua volta. Férias parece ser a única certeza em minha vida agora. Eu sinto falta de tudo e de todos. Meus colegas de faculdade parecem ser mais e mais tedioso e as coisas parecem ser mais e mais incertas. As pessoas que eu julgava serem mais, são menos e as pessoas que eu julgava ser menos são mais. Não sei se o intuito desse post é dizer que quero dormir, acordar e descansar... Acho que é mais um desabafo do que qualquer outra coisa ou, talvez, que realmente esteja cansada demais para mais coisas assim. 
Sei eu que Deus me dá força todos os dias para continuar aqui, mas a saudade é tão forte quanto. Eu quero sorrir, quero ser forte o suficiente para continuar. Porém agora preciso mesmo esquecer um pouco da realidade e fingir que tudo isso não passa de um pesadelo que eu não consigo acordar. 


sexta-feira, 27 de maio de 2011
Vamos parar e pensar um pouco nessa vida. As vezes penso se o mundo é mesmo tão confuso, se não somos nós que fazemos com que tudo seja tão complexo. Na verdade, o mundo deve ser muito mais simples do que pensamos, muito mais simples que a nossa capacidade é capaz de entender.
Creio que por falta de tempo que somos e fazemos com que tudo seja assim. Eu gostaria de parar um pouco, parar para olhar, para pensar, para observar, para dormir, para cantar, para dançar, para rir... Para, simplesmente, deixar de me preocupar com o que acontece nesse mundo.
Porque segundo Alberto Caeiro:
"O Mundo não se fez para pensarmos nele
(Pensar é estar doente dos olhos)
Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo..."


Então pare e pense um pouco!
terça-feira, 24 de maio de 2011
Antes eu não tinha nada, mal sabia o que queria ou como conseguiria continuar a correr atrás dos meus sonhos. Tudo parecia impossível, inalcançavel, insuperável, muito longe do que meu coração pode alcançar. Me sentia presa a pessoas que não são como eu, me senti presa em alguém que eu não sou. Comecei a me sentir pior, cada vez mais triste, mais sozinha... Como se o mundo estivesse distante de mim.  Mas quando menos se espera, o mundo dá voltas e traz aquilo que você menos esperava, no momento em que a esperança já aparecia ter te abandonado. 
Agora eu posso sorrir, posso cantar, ler, escrever, me dedicar ao meu curso, sorrir, falar, abraçar e, principalmente, ser eu mesma. Eu mal havia notado que nesse tempo todo o meu maior problema era falta de mim mesma. Não tenho mais vergonha ou medo. Agora sei que as pessoas devem me amar pelo o que sou, e não pelo o que dizem que eu deva ser. Não tenho nada que me impeça ou que me prenda a pessoas ou paradigmas que sejam contrários ao que eu sou. Tenho alegria para sorrir e para ajudar quem eu amo a sorrir, tenho força para suportar os obstáculos e os pesos do mundo que me cerca, tenho coragem para nunca mais me perder.

terça-feira, 17 de maio de 2011
Até que nada mais me prenda a esse chão,
Até que ultima gota de lágrima caia de meus olhos,
Até o ultimo minuto
Até o ultimo suspiro
Até a ultima vez que nossos olhares se cruzem
Até que nada mais faça sentido
Até que nossas conversas acabem
Até que cada pessoa pare me observar
Até que todas as perguntas se calem
Até que cada particula de mim não sinta mais
Até que nada nessas voltas que dou façam com que eu caia
Até que cada coisa que vejo pare de fazer sentido
Até que o sol que aquece meu rosto nesse frio inverno pare de brilhar
Até que cada centimetro da distancia entre mim e quem eu amo diminua
Até que as estrelas do céu caiam por sobre nossas cabeças
Até a ultima nota tremulante que saia de meu violão

Mesmo assim eu vou te amar, pois o amor que sinto é incontavel, imensuravel, incontrolavel, plenamente constante, grande, forte e faz com que meu dia seja cada vez melhor. Faz com que a parte ruim de mim se comporte, faz meu sorriso abrir a cada vez que vejo o sol sair, faz meu coração bater mais forte quando estou com você.


obs: escrita ao som de Falling over me - Demi Lovato
segunda-feira, 9 de maio de 2011
Como dizer a meu coração que ele não deveria as machucar dessa maneira? Como dizer a ele que ainda há chance de sermos felizes e que toda essa dor é passageira? Como dizer que lá fora deve haver alguém que anseia por ternos em seus braços e que basta abrir os olhos para ver quem é essa pessoa? Como dizer para mim mesma que não há nada mais a perder?
Passo dias e noites a pensar se realmente existe alguém disposto a me amar. Penso até que, talvez, eu não seja certa para ninguém. Que, talvez, somente talvez, eu exista para viver sozinha e ser feliz assim. Pois eu fui feliz enquanto manti meu coração fechado e lacrado como o de David Jones o capitão do Holandês voador. A dor é menor quando não se está preocupada com o coração. Mas eu realmente fui feliz assim? Vale a pena não sentir para não se machucar? Foi tão ruim assim me sentir nervosa/ansiosa/ apreensiva/ciumenta/louca/dependente de alguém ou por alguém?  Esse turbilhão de sentimentos vale a dor que vem a seguir? 


quarta-feira, 4 de maio de 2011
Olá Pessoal!
O blog Lendo nas entrelinhas está sorteando esse livro Maravilhoso.

Vamos às regras do sorteio!

Saiba como participar:
1. Ser seguidor do Lendo nas Entrelinhas. (clique em "seguir" na ferramenta seguidores no final da página)
2. Deixe um comentário nesta postagem dizendo: Eu quero ganhar "Escuridão" de Elena P. Melodia.
3. Preencher corretamente o formulário do Google Docs - Com os dados solicitados logo abaixo.
4. O período de inscrição irá até às 23:59 hs do dia 28/05/2011.
5. Os participantes devem residir em território nacional
6.Os ganhadores serão comunicados por e-mail, e terão 3 dias para respondê-lo.
quinta-feira, 28 de abril de 2011
Você ainda me ame. Pensando que talvez você ainda me queria em seus braços e que essas lágrimas não passam de uma mera ilusão embaçando a minha vista nesse dia tão nublado. Talvez a chuva lá fora expresse muito melhor o que sinto por você agora: você me faz chorar, me faz rir, me faz querer cada vez mais e faz com que eu queria ficar longe de você para talvez assim respirar com uma facilidade maior. 
Se eu me sinto bem quando estou com você? Com certeza, ninguém me deixa mais feliz do que você, do que a sua risada. Se eu gosto de depender tanto de você? Não, eu não deveria depender assim de você. Mas você é tão viciante, tão hipinotizante que meu coração não sabe como se conter. Até o momento que percebo que eu já cai e que pensar que talvez, somente talvez você me quisesse já era o suficiente para mim.


Eu percebo que nada é do mesmo jeito, você percebe que nossos assuntos não batem mais. Existe aquele silêncio chato entre nós, você batuca de um lado e eu digito do outro. Nada é como foi antes e eu tenho certas duvidas sobre o tempo que isso levou para acontecer.
Percebo que não somos mais as mesmas, que nossas conversas se baseiam no silêncio. Percebo que você se distrai fácil e que nem mesmo o som da sua risada eu escuto mais. 

Não há nada que eu possa fazer a respeito, por que o tempo já me ensinou que nem tudo é para sempre e que até mesmo o para sempre um dia termina. Sinto que o nosso para sempre está para acabar. 
terça-feira, 26 de abril de 2011
Há horas em que é impossível negar, há horas em que meus olhos não conseguem esconder o que minha mente diz que é inadmissível mostrar para o mundo.  Lágrimas vêm a minha face e eu tento insistentemente esconde-las de quem quer que seja.
Não adianta você me dizer que é normal, que todos choram. Eu não choro, eu sou forte o suficiente para aguentar o que quer que seja. Eu preciso ser forte, não só por mim, mas por todos os que eu amo. Se eu não for forte por eles, eles podem não aguentar o que esta em mim.
Lágrimas são minhas amigas, velhas companheiras de caminhada. Já estou acostumada a tê-las em meu rosto, em meu coração.  Na maior parte das vezes eu nem mesmo as derramo, derramá-las significaria fraqueza, moleza, e tudo aquilo a qual eu tento lutar contra. Foi minha decisão vir aqui e estar aqui, então cabe a mim lidar com tudo isso!  
segunda-feira, 11 de abril de 2011
Acho que as pessoas devem parar de pensar que sou isso ou aquilo, sou só eu mesma e me orgulho disso. Não quero mais saber de pessoas dizendo para mim que não sou boa o suficiente ou que sou boa demais para tais coisas. 
Quem pode me dizer o que sou ou não capaz de fazer sou eu mesma. Eu tenho coragem para seguir em frente e correr atrás de meus sonhos. Não quero ser outra pessoa, só eu mesma. É muito pedir para ser eu mesma? Não acho. Tenho direito de ser quem sou e de gostar do que gosto. 
O mundo seria, talvez, um lugar melhor a partir do momento em que cada um pudesse ser o que é; seria melhor se cada um tivesse a chance de procurar seus objetivos e desejos mais profundos. Temos que parar de ouvir aquilo que nos deixa mal, temos que saber quem somos e o que queremos. 
Eu posso ser a melhor no que eu quiser e não há ninguém capaz de me convencer do contrario agora!  


Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.