quinta-feira, 29 de dezembro de 2011
Eu não viajo nas férias, meus pais sempre trabalharam quando eu estava em recesso e por isso nunca viajamos nessa época do ano. Pode parecer triste, mas nunca o foi para mim, exceção quando voltávamos as aulas e eu era obrigada a escrever (ou desenhar) como minhas férias haviam sido. Com essa história de ficar em casa eu aprendi a me divertir aqui mesmo, no meu mundo. 
Nas férias eu posso ir dormir a hora em que quiser, posso comer o quanto eu quiser, as tardes parecem mais longas e mais quentes (ou frias), posso passar mais tempo em frente a essa tela estranha e brilhante que prende minha atenção e que me dá possibilidades de viajar pelo mundo sem sair do lugar. Falando em viajar pelo mundo, nas férias eu disponho de mais tempo para ler sobre o que gosto de ler. Desde de Drácula de Bram Stoker até Persuasão de Jane Austen. Posso ler livros bons, livros ruins, serie de livros, livros únicos, livros clichês... Posso ler todo e qualquer tipo de livro. 
Por dispor de muito tempo livre, posso brincar com meus irmãos. Soltamos bolhas de sabão por todo o quintal; dançamos e cantamos nossas músicas favoritas; assistimos todos os filmes que temos vontade; cozinhamos e aproveitamos todo o tempo que não temos juntos durante o resto do ano. 
Até mesmo a minha frescura por organização ganha espaço nesses três meses que tenho em casa. Meu quarto nunca pareceu mais espaçoso! Posso até mesmo tentar ser mais saudável, a regra da vez é beber dois litros de água por dia. Estou levando essa regra tão a serio que não aguento mais ver essa garrafa de água que fica ao meu lado na escrivaninha. 
Férias são ótimas e com o tempo eu aprendi que não importa se você viaja ou não. O importante é saber aproveita-la da melhor maneira possível, fazendo poucas coisas, porém coisas divertidas. 



Boas Férias para você.
quarta-feira, 28 de dezembro de 2011
Mais um final de ano se aproxima. O natal se foi, muitos sorrisos e abraços foram dados. Agora só falta a terra completar mais um volta ao redor do sol e pronto, mais uma mudança acontece em nossas vidas. Mais um ano se completa e se vai assim como os outros. 
Existem aquelas pessoa que vão ao mar pular certo número de ondas, outras irão se vestir de branco para fazer mais apelo pela paz em nosso mundo. Não sou muito de gostar de ano novo, de fato, tenho aquele pensamento de que se você não conseguiu completar o que desejava em 365 dias, não é em uma noite que tudo irá mudar. Se você não desejou paz ao seu irmão durante o ano inteiro, uma noite não compensará todas as outras. Sou muito realista em relação a esse "grande evento anual", mas não estou aqui para dizer o que penso sobre isso e sim o que você pode fazer sobre tudo isso. 
Não adianta fazer listas sobre o que você quer que aconteça, você deve fazer listas sobre o que você vai fazer no próximo ano. Se você quer emagrecer, então vá a um nutricionista e procure fazer mais exercícios físicos. Se você quer ter notas melhores (como eu também quero), estude mais, planeje seus horários e reserve algumas horinhas por dia para isso. Se você quer ser mais caridosa(o), procure programas de assistência de sua cidade ou bairro, procure saber como ajudar  quem mais precisa. 
Basta ter vontade de fazer, não só ficar desejando que as coisas aconteçam com você de uma noite para  a outra. Sonhar é bom e preciso, mas é necessário correr atrás do que se quer. Não é fácil ou simples, mas nem sempre o que é certo é fácil. 
Bom, eu gostaria de desejar um ótimo ano para vocês leitores. Foi muito gratificante entrar aqui e ver que várias pessoas lêem o que escrevo e se interessam pelo meu ponto de vista. Antes da "virada de ano" virei aqui mais uma vez. Mas desde já agradeço por tudo, é complicado manter o blog estando na faculdade e tudo mais, mas no ano que vem darei mais atenção a vocês. 
Obrigada... 


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011
Você já cogitou passar um dia inteiro fazendo só o que você quer fazer? Você já pensou em gastar um dia inteiro com você só porque você quer? 
Se você respondeu sim para essas duas questões, então sabe a sensação que eu tive hoje quando decidir fazer isso. Se você respondeu negativamente eu sugiro que faça isso. Quer maneira melhor de aproveitar as suas férias senão fazendo o que mais gosta de fazer? É bom sentir, pela primeira vez no ano que eu não preciso me preocupar com milhares de coisas para fazer e milhares de pessoas para conversar e ajuda-las a resolver os problemas delas. Hoje eu simplesmente tirei um "Day Off". 
Hoje eu ouvi minhas músicas mais dançantes, assisti o quanto de televisão eu quis, andei de um lado para o outro como se não tivesse coisa melhor a fazer. Escrevi, li, cantei, dancei, toquei violão, brinquei com meus irmãos. E posso afirmar que não há nada melhor do que um dia assim. 
Aproveite suas férias e tirei um dia para você. Se você não gostar pode vir aqui e reclamar.


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011
Desde pequena sempre gostei muito de natal, creio que por causa de minha mãe. Ela sempre teve o espirito do natal dentro dela, essa sempre foi a época favorita do ano. Todo ano, minha mãe coloca luzes de natal na frente da minha casa, na árvore e no presépio (somos católicos). Todo ano, eu durmo olhando para as luzes de natal que acendem e apagam lentamente me trazendo calma e esperança que só o natal traz. 
Amo ver essas luzes, o silêncio ao redor delas. E só o fato de elas parecerem felizes, me deixa feliz. O espirito de natal tem tudo a ver com isso. Essa é a época do ano em que podemos nos esquecer de todos os problemas que tivemos, podemos esquecer de todas as preocupações. Podemos nos preparar para a chegada daquele que tem o poder de nos salvar e assim podemos concretizar seu maio mandamento: Amar uns aos outros como a si mesmo. Nessa época podemos sorrir para os outros, temos mais e mais chances de compartilhar essa felicidade e esse amor que existe dentro de nós. 
As luzes são mais um atrativo, as luzes são só uma lembrança de que nossos corações devem ficar acessos durante todo ano e que nós podemos sim participar da salvação. Basta sorrir, amar e brilhar.


domingo, 11 de dezembro de 2011
Faz tempo que eu não encontro tempo para escrever sobre pensamentos que passam a mil em minha cabeça. Faz tempo que não posso, simplesmente, sentar em frente a essa tela para ficar a procurar imagens que repassem meus sentimentos momentâneos. Faz tempo que não tenho tempo para não pensar em nada e ser feliz só por isso. 
Descobri que é bom escrever sobre o que se gosta, mas que não é tão prazeroso quando você precisa que alguém tenha dito algo sobre aquilo anterior a você. Quem garante que você não pensou sobre aquilo antes de outra pessoa publica-lo? Bom, esse não é o meu ponto hoje. Meu ponto é que descobri que gosto de escrever, seja em escrever para escrever (de modo a que posso dizer o que vier em minha mente e como vier em minha mente), seja por escrever projetos e trabalhos. Gosto de minha profissão, escrever sobre ela só aumenta o meu amor pelo o que poderei fazer no meu futuro.
Gosto de escrever sobre o tempo, sobre as palavras que não me abandonam em momento algum. Sobre as nuvens que vejo da janela do meu quarto, sobre as fotografias que vejo em blogs e sites. Sobre como meus irmãos são divertidos e como isso pode enlouquecer minha mãe um dia. Sobre como gosto de minha amizades e como sinto falta delas quando estou distante. Sobre como a luz do sol bate lá fora ou sobre a ausência de luz solar lá fora. Enfim, gosto de escrever sobre o que "me der na telha". Porém tenho medo de perder isso agora que comecei, de fato, minha carreira como cientista. 
Espero não perder nada disso, pois faz parte de mim.

Trilha sonora da vez: Catch me - Demi Lovato.
quarta-feira, 7 de dezembro de 2011
Final de ano, época de festas e celebrações. Os corações enchem-se de felicidades  e esperança enquanto espera-se pela união e realização de sonhos. Não, final de ano não é nada disso. Final de ano para uma estudante como eu é tempo para estudar, passar noites em claro com o objetivo de finalizar todo o trabalho duro que tivemos no decorrer do ano letivo. 
Entendo que alguns alunos deixam tudo para o ultimo momento e depois ficam desesperados para concluir o que não fizeram. Por outro lado, existe alunos que estudaram durante todo o ano e querem, simplesmente, fechar o ano com chave de ouro. Nesse ano, posso dizer que faço parte do segundo time. Foi difícil, mas aquele desejo bobo de ser uma boa aluna inicio-se nesse ano e eu realmente me sinto satisfeita. 
Vamos, agora, para o lado ruim de ser uma boa aluna na faculdade. 

  1.  O seu circulo de amizade diminui drasticamente. 
  2. Você percebe que acaba por não ter tempo para você mesma. 
  3. Você percebe que deixou de fazer muitas coisas que gosta de fazer só para adiantar algo de sua vida acadêmica. 
  4. Quando você não tem trabalhos, provas ou lições se sente vazio. 
  5. Você começa a achar o laboratório e a biblioteca os melhores lugares do mundo. 


Agora o lado positivo: 



  1. Aqueles amigos que deixaram de falar com você, você acaba percebendo que eles não eram seus amigos de verdade. E acaba por conhecer pessoas que compartilham da mesma ideologia que você. 
  2. Mesmo com as dificuldades, você acaba por tomar conta de si mesmo e para de se preocupar com o que os outros pensam e se veste da maneira que te deixa mais confortável. 
  3. Televisão, redes sociais, baladas elas passam a ter menos importância e você percebe que terá o tempo certo para tudo isso quando se formar.
  4. Você não consegue mais ficar sem fazer nada, e quando não tem nada dá um jeito de fazer o que gosta. 
  5. Você passa sim, mais tempo no laboratório e na biblioteca, mas isso não quer dizer que você só estude. 
Bom, na verdade esse post foi escrito com o objetivo de fazer um paralelo com tudo o que eu fiz esse ano e com o que eu sinto após tudo. Não me arrependo de ter feito o que fiz e como fiz. Cada coisa que apareceu em meu caminho foi colocado ali por Deus, então não há com o que reclamar. Sou muito grata por todas as correrias, estresses, dores de cabeça, raivas e afins que tive. E estou pronta para mais um ano. Agora preciso ir, afinal tenho um projeto para terminar. 



quinta-feira, 1 de dezembro de 2011
As pessoas falam, riem, gritam. A música toca, a televisão conta piadas infames no ultimo volume. Será possível que só eu quero um pouco de silêncio? Sei que tudo me deixa fora do eixo por esses dias, mas sei que tudo isso passaria se eu pudesse ficar em silêncio e sozinha por um tempo. 
Me irrito com tudo, me irrito com todos. Creio que estou a ponto de explodir, cheguei ao meu limite. Será que ninguém nota? 
Preciso de um tempo só meu, de um tempo só para mim. Fechar a minha boca e silenciar a minha alma. Não quero mais opiniões e nem omissões. Não quero palpites e risadas. Não quero ironia, falta de paciência e nem que as pessoas falem para eu sorrir quando não quero. 
Eu só quero que o mundo pare, quero ser capaz de ouvir só o meu coração batendo. Quero ouvir minha respiração indo e vindo, sem ter de me preocupar com o que há ao meu redor. 
Eu só quero um pouco de silêncio!