sábado, 30 de julho de 2011
Por que é tão importante ter liberdade? Já faz anos que escuto pessoas, principalmente adolescentes, dizendo que o que mais querem é liberdade. Mas o que há de tão especial nessa tal liberdade?O que faz com que tantas pessoas a utilizem como desculpa para tantas coisas erradas que fazem no decorrer de suas vidas? 
"A sua liberdade termina onde começa a do outro", é o que dizem. Mas será mesmo que é o que acontece? Eu tenho certeza que não. Não estou aqui a dizer que é errado almejar sua própria liberdade, estou dizendo que é errado a utilizar como desculpa para idiotices que fazemos. Já vi pessoas machucarem outras pessoas por conta dessa estúpida liberdade, ou pior, pelo pior jeito de se ver a liberdade. Graças a pessoas assim muitas já sofreram, muitas já morreram. 
Não eu não quero essa sua liberdade que destroi o que mais amo, que quero a liberdade de ser quem sou sem machucar ninguém e sem ter medo de me machucar. Quero a liberdade para sonhar com o que quiser para o meu futuro sem medo de que você quebre meu sonho do mesmo modo que quebrou meu coração e minha confiança. Luto pelo mesmo sonho que mil pessoas pelo mundo já lutaram. E não vou desistir dele com tanta facilidade!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Aqui estou eu, sem me lembrar de, pelo menos, 40% de tudo o que vivi nesse anos todos. Como me sinto em relação a isso? Não tenho certeza ainda, é complicado. É estranho para mim pensar que já vivi 19 anos, 19 anos inteiros sem pular dia algum. Embora, tenha parecido que não vivi alguns desses dias, embora pareça que tenha vivido com intensidade maior do que a devida alguns desses dias também. 
Sei que apanhei muito, de tudo na verdade. Sei que sinto falta de muitas coisas, mas sei também que não me arrependo de nada. Você achar estranho eu dizer que não me arrependo de nada, porém, olhando agora, cada decisão minha, seja ela boa ou ruim, me trouxe até esse momento e eu gosto dele. Hoje eu posso dizer que tenho uma família maravilhosa que me ama pelo o que sou. Tenho amigos mais do que perfeitos que foram colocados em minha vida por Deus ou pelo o tempo e que caminham junto comigo sem se importar com meus defeitos que, por um acaso, são muitos. Eu sou eu mesma e não tenho mais medo de admitir, mesmo os meus defeitos. 
Eu tenho, hoje, 19 anos de pura burrice, ignorância, felicidade, irritabilidade, sinceridade, certa dose de maldade,de muitas risadas, de muitas lágrimas, de muitas ofensas, de muitos tapas na cara, de muitas quedas, de muitas criticas, de muitas ideias, de muitas palavras, de muitas músicas, de muitos filmes, de muito Harry Potter, de muitos livros, de muitas aulas, de muitos problemas matemáticos, de muitos verbos conjugados, de muitos adjetivos, de muitos numerais, de muitos termos técnicos, de muitas mudanças, de muitas batalhas, de muitos sonhos, de muitos desejos, de muitas rezas e preces, de muitos sim, de muitos não, de muitos talvez, de muito amor e eu devo tudo isso aquele me criou e que cuida de mim! 
quinta-feira, 28 de julho de 2011
"Todos os anos acontece a mesma coisa" dizia ela enquanto sua ama terminava de arrumar-lhe os cabelos.
"Mas, senhorita, o que podemos fazer?" perguntava a ama. 
"Podemos nunca mais comemorar coisa alguma, seria ótimo parar de fingir que nada de ruim nos acontece." Respondeu-lhe a menina. 
Todos os anos, naquela mesma data, sua família realizava um baile de mascaras. Quando pequena para ela era um unfortunio ter de sair mais cedo da festa, dizia que era um absurdo ter que se deitar quando todos estavam a se divertir. Mas muitas primaveras se passaram e sua mente começou a pensar diferente, a grande mudança acontecerá no ultimo ano, quando seu coração foi roubado e quebrado por um jovem arlequim. 
"Não quero ir!" Gritou ela para quem quisesse ouvir. Porém reclamações de adolescentes nunca são ouvidas e por isso foi obrigada a ir com a desculpa de que, talvez, aquele jovem nunca mais aparecesse na festividade. 
Mascaras, risos e dança. Foi tudo o que ela encontrou quando desceu as escadas em rumo ao tão indesejado baile. Como poderia ela se divertir sendo que cada detalhe lhe lembrava aquela noite? Como poderia ela sequer sorrir sem nem mesmo ter um coração? 
A noite corria e após um longo tempo, ela encontrou-se rindo das brincadeiras de seu irmão mais novo. Tudo parecia calmo novamente, parecia-lhe até que o coração havia voltado ao lugar, parecia que, na verdade, seu coração nunca havia saído do lugar ou que nunca lhe ocorrerá dano algum. De repente em meio aos rodopios e risadas surge uma mascara que a surpreende. Ela para de dançar e decide se recolher, talvez tenha sido a bebida que já lhe subia as faces ou o cansaço de tudo. 
A caminho cruza-lhe um sorriso zombeteiro por trás da mascara e uma mão lhe leva novamente a dança. Hipnotizada pelos movimentos e pela a incerteza ela se deixa levar. Uma volta, duas voltas, ou até mesmo três, ela já não contava mais. Lábios sussurram ao seu ouvido, ela responde dizendo que não quer mais, dizendo que já se machucou demais naquela brincadeira. 
"E se não for mais uma brincadeira?" Pergunta-lhe
"Não importa, eu não vou me machucar novamente." Responde.
"Não quero que você se machuque, eu nunca quis isso." 



quarta-feira, 27 de julho de 2011
Vontade de colocar uma música animada para tocar no ultimo volume sem nem mesmo me preocupar com o que os outros pensam sobre a música ou sobre minha atitude. Por que nos importamos tanto com as outras pessoas e com o que elas dizem? Não devemos ser únicos e nos amarmos pelo o que somos? 
Aquela batida faz meu corpo se movimentar de modo não convencional. Se sou boa dançarina? Creio que não, mas no presente momento não me importo muito com isso. Se eu bebi? Não, não preciso de "incentivos" para dançar sozinha em meu quarto. Levanto minhas mãos junto com a música, pulo, giro e um mundo novo se forma a minha frente. Eu canto, danço e me parece que não tenho medo de mais nada. Danço sem ter a certeza do que vira a seguir, minha playlist é contagiante quanto os hits da minha infância. Escuto, de uma vez, todos aqueles que um dia me disseram que a vida é difícil, mas que vale a pena se divertir de vez em quando. 

terça-feira, 26 de julho de 2011
Você já sentiu falta de alguém? Já sentiu falta do tempo que passou com essa pessoa? Eu já! Sinto a todo o tempo, a cada instante mesmo que minha mente não pense nisso. Você já pensou que pode haver uma pessoa no mundo que te conheça tão bem quanto você mesmo? Você já reparou que essa pessoa te conhece muito bem mesmo sem te ver com frequência há 5 anos? Essa pessoa conhece meu coração e minha mente, sabe do que sou capaz de gostar e do que vou odiar sem nem mesmo estar comigo todos os dias.
Hoje eu pensei em você Felipe, ouvi uma música e pensei em você. Voltei no tempo, voltei em todas as vezes que você me ouvi reclamar ou rir, em todas as vezes que vi você amar ou odiar alguém. Sinto sua falta sabia?! Eu daria de tudo para ver como você está agora, para ver como anda a sua vida de bailarino e como a Broadway vai te amar quando ver você no palco. Você ainda tem os mesmo sonhos? Ou eles aumentaram? Você ainda vai para a Disney comigo? Você ainda gosta daquelas musicas? 
A cada dia é complicado. É complicado viver longe de meus pais, é complicado não ter pessoas que me conheçam tão bem quanto você. Mas eu tenho ido bem. Gostaria de saber se você tem se dado bem também. Uma novidade? Conheço uma menina que foi bailarina antes da faculdade, ela é só um ano mais velha do que eu e me lembra você até certo ponto. Creio que é por isso que eu e ela nos damos bem. Toda vez que converso com ela penso que você adoraria estar ali, junto de nós duas conversando e rindo. 
Sinto sua falta, sinto falta da magia que há em nós. Sinto falta daquele brilho que aumenta quando estamos juntos. Mas sei que falta pouco para nós dois, falta pouco para cada um ver o sucesso do outro e é como dizem: amizades de verdade resistem ao tempo e a distancia. Nunca se esqueça, pois eu nunca vou me esquecer!
Para mim é incrivel
quarta-feira, 20 de julho de 2011
Eu nunca tive muitos amigos, nuca tive muitas pessoas que gostassem de mim. Por um longo tempo esse fato me assombrou, mas com o passar dos anos eu percebi que quantidade não significa qualidade e que ter poucos amigos, ou ter apenas 1 é mais do que suficiente para uma pessoa como eu. 
Com o passar dos anos tive amizades que se fortaleceram nas dificuldades e amizades que pereceram mesmo na felicidade. Não foi fácil passar por muitas coisas que passei sem amigo algum para te ajudar a levantar. Porém tenho certeza de que fiz o fardo de algumas pessoas se tornar mais leve! 
Sempre me doei muito em amizades, mesmo naquelas que não valiam tanto a pena. Mas não me arrependo, pois, para mim, amizade é isso se doar. Amizade é ajudar mesmo quando não se tem forças para ajudar a si mesmo. Não acho errado eu me machucar para que amigos meus sejam um pouco mais felizes. Não acho errado chorar para ver um sorriso no rosto de outro amigo. Não acho errado se esforçar, por aquele que te quer bem. Eu tenho amigos que fariam e fazem por mim tanto quanto eu faço por eles. E é por conta de amigos assim que hoje eu não me sinto tão sozinha!

segunda-feira, 18 de julho de 2011
Durante esse tempo todo meu coração desejou por você, mesmo sabendo que você jamais voltaria para mim. A cada segundo olho para aquela mesma porta e imagino você entrando por ela, sorrindo para mim. A cada mínimo barulho eu penso que pode ser você, até mesmo acordo durante a noite pensando ter ouvido você na sala assistindo TV e reclamando por ter insónia. Todo momento penso que não deveria ter acabado daquela maneira e que não deveria ter deixado você ir, pois deixar você sair da minha vida foi o maior erro que eu já cometi. 
Sou muito orgulhosa e muito burra também, caso contrario já teria ido atrás de você. Já teria te dito o quão estúpida sou por ter deixado tantas coisas e pessoas entrarem em nosso sagrado relacionamento. Me arrependo tanto de cada palavra ridícula que saiu de nossas bocas naquela noite, se eu pudesse trocaria cada uma delas por beijos e abraços. Me arrependo de não ter saído correndo atrás de você quando tive chance, me arrependo de não ter ouvido suas desculpas quando elas foram ditas. Não há nada que me destrua mais do que saber que você não está mais aqui.
Cada batida de coração me lembra você, cada perfume me lembra o seu e cada raio de sol me lembra o seu sorriso. Por que é tão difícil viver sem você? Sei que ambos cometemos erros, mas sei o que o maior erro foi justamente o meu e eu, cega de arrogância, não pude ver que estava a perder o grande amor da minha vida. Perdi você por nada e isso machuca. 
Não escrevo na esperança de te ter de volta, seria um absurdo, escrevo para mostrar o quão ignorante eu fui e eu assumo isso, assumo que sinto sua falta e que te amo mais do que amo a mim mesma. Aprendi a ser feliz vendo o seu sorriso e percebo agora o quão infeliz você foi quando estava comigo!

Sinto falta de você aqui, comigo.
sábado, 16 de julho de 2011
Toda vez que sento em frente a essa tela, escrevo sobre amor. Histórias, poemas, contos e tudo mais o que existir, mas sempre com a mesma temática: Amor. Tenho certeza de que as pessoas pensam que vivo um relacionamento muito bom e por isso escrevo tanto sobre esse sentimento. Pelo contrario, não estou em relacionamento algum. Porém não estou aqui para reclamar que não tenho namorado, estou aqui para dizer o quão frustrada estou por não ter a capacidade ou a criatividade para escrever sobre outro assunto.
Entretanto é bem complicado não escrever sobre amor quando temos imagens e histórias nos rodando por toda a vida. O maior exemplo são filmes infantis, a maior parte deles terminam com um beijo. Não digo que não gosto, digo que seria bom variar as vezes. Mas, não sei se eu mesma mudaria o final de qualquer uma das magnificas histórias que formaram minha infância. Cada sentimento expresso naqueles filmes me fez ser quem eu sou hoje e encantam gerações e gerações de crianças dispostas a sonhar com um grande amor em sua vidas. Eu sonho, por que não eles? Enfim, amor é o sentimento mais forte existente. Amor é o sentimento mais descrito nos últimos e creio que não o deixará de ser. 
Por mais incrível que pareça acabei de escrever sobre amor novamente. Acho que nunca me cansarei de sonhar sobre isso e no fundo eu gostaria que o mundo tivesse mais desse sentimento desconhecido e indecifravel. Talvez assim o mundo seria um lugar melhor.

quinta-feira, 14 de julho de 2011
Olhando para traz vejo o quanto o crescemos, o quanto evoluímos nesse tempo. Nossos assuntos não são mais os mesmos, são semelhantes, mas não os mesmos. Não vejo isso como um defeito. Não gostamos mais das mesmas coisas e não nos impressionamos com tanta facilidade como antes. Sinto falta do tempo em que não tínhamos o que fazer, tempo que gastávamos com conversas e brincadeiras mais bobas e inúteis. Podemos dizer que nosso tempo foi bem gasto e que não nos arrependemos de nada feito. 
Olho nossas fotografias, vejo sorrisos em todas elas. Porém me lembro que tudo nem sempre foi risos, lembro de cada vez que secamos lágrimas uns dos outros e dissemos que melhoraria e que seguiríamos em frente. Estranho, mas esse conselhos amadureceram e se tornaram mais realistas. Entretanto ainda contém o poder de nos fazer parar de chorar.
Devo dizer que penso que deveria ter feito mais, devia ter aproveitado mais. Porém  olhando agora vejo que se pudesse voltar no tempo faria tudo exatamente do mesmo modo, eu faria as mesma burradas, as mesmas piadas, cometeria os mesmos erros, os mesmos acertos pois cada mínimo detalhe nos trouxe para esse momento. Não me arrependo de mais nada. E você? 
Cada lembrança que tenho de você, para sempre, ficará em mim. Você fez uma grande diferença em minha vida e tenho certeza que você continuará comigo.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quantas vezes essa semana você sentiu uma vontade imensa de tirar fotos de você mesma? Quantas vezes essa semana você sentiu aquela vontade de passar um batom na boca e quando o fez se sentiu linda, só por ter passado aquele batom? Quantas vezes você se olhou no espelho e se achou razoavelmente bonita? Quantas vezes você sorriu, mesmo que só um pouco, e achou que o mundo havia mudado só por isso?Quantas vezes você se olhou no espelho e pensou que estava bem sem mesmo ter passado nada? Quantas vezes você cantou alguma musica e se sentiu bem? Quantas vezes você sentiu o sol bater em seu rosto e fechou os olhos para sentir aquele calor? 

Quantas vezes você chorou, simplesmente por chorar? Quantas vezes você já se achou menos do que alguém ou do que algo? Quantas vezes você já não desejou ser aquela garota? Quantas vezes você já pensou que se tivessem roupas mais bonitas ou sapatos mais bonitos ou, até mesmo, maquiagens melhore seria mais bonita? Quantas vezes você se olhou e se chamou de gorda? Quantas vezes você mecheu em seu cabelo e o chamou de feio? Quantas vezes você já não tentou algo só para tentar melhorar algo em você? 


Acervo pessoal.


quarta-feira, 6 de julho de 2011
Eu não sei como escrever isso, não sei nem mesmo como pensar nisso. Eu venho há tempos tentando não encarar essa situação e o que acontecerá depois dela. O que venho falar aqui hoje é sobre algo que você talvez ache ridículo para uma garota de 19 anos falar, talvez você entenda perfeitamente o que sinto. 
"All ends in July 15" essa frase pode não fazer sentido para você, mas para mim é a certeza de que não posso mais fingir que esse dia não chegaria. Faltam 8 dias para o final épico da maior serie que já foi filmada na face da terra. Exagero? Não tanto. 
Há uns 7 ou 8 anos atrás eu aquele tipo de criança que não lia nada, nem mesmo placas de transito. No Natal eu ganhei Harry Potter e a Pedra filosofal de presente do meu Tio. Devo ser sincera e dizer que não o li logo de cara, na verdade eu mal saia do primeiro capitulo pois o achava chatissimo. Um dia eu vi o trailer do filme na televisão e disse a minha mãe que gostaria de ver o filme. Naquele momento mal sabia eu que minha vida mudaria para sempre. Minha mãe me disse que só me levaria se eu terminasse o livro, pois nada mais justo eu ler o livro que deu origem ao filme. Então, eu sentei no chão da sala da minha casa e abri, convicta de leria até o final, Harry Potter e a Pedra filosofal. 
Penso agora que se eu soubesse o impacto que essas seria teria em minha vida, eu teria começado bem antes. Só para vocês saberem eu li o livro em 1 semana e ele foi o primeiro de muitos. 
Nos anos que se seguiram eu li vários livros, sempre lia demais ou para fugir de uma realidade descriminatória que vivia em minha escola ou para preencher o tempo entre um Harry e outro. 
Eu aprendi a ser uma pessoa melhor, eu aprendi a ter menos mesmo do destino e do que acontecia a minha volta. Aprendi a sonhar com um futuro melhor, aprendi a não ter medo de dizer quem sou, como sou e do que gosto. Quando terminei Harry Potter e as Relíquias da morte senti um êxtase seguido de um vazio, acho que essa parte ninguém entendeu muito bem. Desde então eu passei a me dedicar aos filmes, não deixei passei um sem que eu fosse ao cinema assistir. Chorei quando perdi a estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 1, mas aqui estou eu chorando em frente a esse computador tentando dizer para mim que não vai acabar, tentando me convencer que daqui há 8 dias a minha vida vai continuar e que eu tenho que seguir em frente pois todos vão seguir em frente. Mas é tão difícil dizer adeus a tudo o que me deu coragem para continuar até aqui.  Vocês podem achar mais do que ridículo tudo o que estou dizendo, porém é o que sinto. 
Sem essa serie de livros eu não teria encontrado a profissão da minha vida, eu não teria essa grande paixão pela leitura, por bibliotecas, não teria amigas tão divertidas, não teria um motivo para brigar em prol, não saberia que a minha família deve vir antes de tudo no mundo, não saberia que vale a pena dar valor a mim mesmo mesmo quando o mundo me diz o contrario! 
Obrigado a Joanne, por ter escrito a melhor serie de livros do mundo. Obrigado por ter motivado a minha infância e a minha adolescencia e por ter feito de mim a mulher que sou hoje. Obrigado a todos aqueles que fizeram parte dessa serie de filmes, obrigado a Emma Watson por ter dado vida  e forma a minha personagem favorita da serie. Obrigado a você que gastou seu tempo lendo isso e obrigado a você que estará comigo e com Harry UNTIL THE VERY END.


Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.