segunda-feira, 17 de junho de 2013
Sim, saímos do Facebook e fomos para as ruas. Primeiro tudo seria apenas por R$0,20, mas depois as coisas tomaram uma proporção bem maior do que o esperado. De repente as pessoas viram que o problema não é só o aumento da tarifa de um serviço público que não funciona direito. Não é apenas por mais linhas de ônibus ou por uma frota maior. Não é apenas por um preço abusivo por nada. Não é apenas o fato de que São Paulo contém mais pessoas do que suporta e por que as pessoas que lá vivem, vivem, em muitos casos, em condições inumanas. 
A questão agora, é uma copa do mundo muito cara e feita para quem vem de fora. São hospitais que não nos atendem por falta de condições e recursos. Por escolas que não tem material e nem condições de ensinar para  nossas crianças o que é necessário para conseguir um bom emprego. É a falta de empregos e salários dignos. É a falta de vergonha na cara dos nossos governantes que dizem que o Brasil cresceu, que o Brasil é isso ou aquilo. 
Desde o meu ensino médio eu entendi que não adianta o nosso PIB ser grande se o nosso IDH continua baixo. Não adianta as empresas ganharem muito se ainda há crianças que nascem praticamente mortas no nordeste por conta da falta de assistência médica às suas mães durante a gravidez. Não adianta o Governo arrecadar milhares enquanto tem crianças passando fome em casas feitas de madeira com apenas um comodo. 
Nosso país precisa de uma melhor educação e não é de hoje! Precisamos de uma saúde melhor e não é de hoje. Acontece que hoje as pessoas acordaram para isso. Hoje a população brasileira decidiu que não quer ser mais otária e não quer mais pagar o que paga por esses serviço. Não adianta ter copa do mundo, olimpíadas, se no final, quem perde mais somos nós. 
Infelizmente eu não pude participar do protesto de hoje, o máximo que posso fazer é escrever aqui e nas redes sociais. Porém eu posso dizer que nunca uma serie de imagens pode me deixar mais orgulhosa de ser brasileira. Ver aquele mar de gente protestando pelos meus direitos, pelos nossos direitos, fez meus olhos encherem de lágrimas. Ler os comentários no Twitter e no Facebook sobre o que estava acontecendo lá, sobre o quão organizados eles estavam e sobre como não havia vandalismo ou coisa do tipo. Vi muita gente sendo cuidadosa e muitos informação sobre tudo, sobre trajeto, sobre o número de pessoas, o número de policiais e o ponto onde eles estavam. 
Sim, lágrimas aos olhos ao ver que o povo do meu país está lutando pelos direitos que sempre tivemos e sempre reclamamos da boca pra fora por eles. Hoje uma nação acordou e eu espero que tudo isso se reflita onde realmente as coisas mudam, nas eleições. 

Enfim, saímos do Facebook e abrimos os nossos olhos! 


quarta-feira, 12 de junho de 2013
Uou.... Mais uma indicação de filmes para vocês. Hoje a noite eu sentei para assistir um filme que eu já tinha há tempos e tinha muita vontade de ver, mas que por alguma razão nunca o tinha assistido. Estou falando sobre nada mais nada menos do que O clube de leitura de Jane Austen, lançado em 2007. Caso vocês queiram saber mais informações técnicas do filme e ler a sua sinopse, clique aqui


O que mais me surpreende no filme todo é como os livros realmente ajudam os personagens a passar pelas situações complicadas de suas vidas e como a vida de cada um tem um pouco de cada de história criada por Jane. No inicio, o filme para um pouco parado e sem atrativo nenhum ( afinal de contas a vida das pessoas em geral não possui nada de extraordinário), porém ao desenrolar  da trama, nós podemos perceber que as coisas boas e extraordinárias que podem acontecer em nossas vidas e na vidas dos personagens são coisas simples, como perdão, amor, diálogo e muitas outras coisas que sempre dizemos aos outros mas que nunca realmente aplicamos em nossas vidas. 
A história, por tratar de vários personagens ao mesmo tempo, não é tão confusa como em "To Rome with Love" (acreditem, assisti esse filme com outras pessoas e descobri que muitas vezes o que para mim é simples, para outras pessoas não é). Nesse caso acontece justamente o contrário, nós acabamos tão presos aos personagens principais que acabamos por compreender  o que acontece com cada um deles que percebemos a conexão que existe entre cada um deles.
Pontos altos: O filme trata das obras de Jane Austen de um modo simples; existem personagens homens no filme que leem os livros e meio que acabam com esse paradigma de que Jane Austen é coisa de menina. O ritmo da história não é tão rápido e nem lento é um filme perfeito para dias frios e nublados. 
Pontos baixos: alguns personagens secundários aparecem e somem com uma velocidade incrível e meio que você fica se perguntando o que aconteceu com determinada pessoa. A trilha sonora poderia ter sido muito melhor. 
Anyway, foi realmente maravilhoso assistir esse filme. Me faz pensar que eu deveria te-lo assistido antes e me faz ter vontade de ler todos os livros de Jane Austen de novo. Ah, e se prepare para amar essas pessoas: 


terça-feira, 4 de junho de 2013
Hello you!

Para esse mês, decidimos que nada melhor do que cantar até dizer chega, certo? No penúltimo post mostramos alguns covers que pode viciar e tudo mais, o que vocês acham de treinar essas vozes e dançar um pouco. Afinal de contas, o que há de melhor do que esquecer um pouco dos problemas e cair na dança? Achamos o 8track perfeito para isso! 
Divirtam-se!