segunda-feira, 31 de dezembro de 2012
Para começar eu não sou uma daquelas pessoas que fazem duzentas listas de coisas que quero para o próximo ano. Na verdade, eu sou uma daquelas pessoas que, como o Patolino, acreditam que a virada de ano não passa de uma data inventada pela mídia para incentivar o consumismo e costumes bobos. Sim, estou falando sério. Na verdade, creio que já escrevi sobre isso, não sei se aqui no blog ou se foi no Tumblr. Mas enfim, sei que eu tenho tendência a ir dormir no dia 30 já sofrendo com o meu mau humor. Sim, talvez eu devesse conversar com um psicologo sobre o assunto porque é algo que eu não consigo controlar e não sei o motivo de tanta raiva contida no dia 31. 
 Não adianta, eu acordo e acho que tudo está errado e que não há razão no mundo para as pessoas agirem como se a partir de hoje o mundo fosse mudar. As pessoas agem como se por causa de um dia, um misero dia, fosse mudar todo o rumo da humanidade. Deixa eu dizer uma coisa:  O MUNDO NÃO VAI MUDAR DE HOJE PARA AMANHÃ. Você tem chances de mudar durante 365 dias em anos comuns! Não é um dia que vai fazer a diferença. Se você não levantar do sofá e parar de reclamar você não vai conseguir as coisas que almeja. Se você não estudar mais, não vai passar de ano com boas notas. Se você não amar mais, não será mais amado. Alguns vão dizer que as coisas não são sempre preto no branco, mas nesse caso as coisas são sim! Se você quer ser rico, trabalhe. Se você quer que as pessoas sejam mais educadas, seja educado. Se você quer ganhar coisas, mereça. Hoje para mim é apenas o dia em que a terra completa mais uma volta ao redor do sol. Apenas isso. 
Apesar dos pesares, hoje ainda estou muito melhor do que nos outros anos. Mesmo que não pense estar errada em continuar não achando esse dia TÃO especial, não estou de mau humor por isso. Fui a missa com a minha familia e pedi para que esse mau humor saisse de mim e que eu aprendesse a lidar com esse dia, assim como lido com outras coisas que não gosto e que tenho que lidar em qualquer outro dia do ano. E assim se fez! 
Então, para aqueles que gostam muito desse dia, minhas sinceras desculpas e meu sincero desejo de que o seu 2013 seja repleto de força de vontade e que seus desejos possam se realizar. Para mim, que eu possa cumprir tudo todos os compromissos assumidos nesse ano. Que eu seja uma melhor intercessora (tudo bem que isso depende mais de Deus do que de mim, mas que seja feita a vontade dele), que eu seja uma melhor amiga, uma melhor filha, uma melhor ouvinte, uma melhor irmã e que possa terminar minha faculdade com o pé direito. E que os meus pedidos e os seus não fiquem em nossas cabeças apenas até as 00h de hoje, mas que eles permaneçam em nós durante todo o ano. Pois só assim vamos mudar o mundo. 

Beijos meus amores e obrigada por aturarem meus momentos e os momentos da Jess nesse 2012 já tão vintage! Love ya. 
sexta-feira, 28 de dezembro de 2012
Hoje assisti um filme que trata sobre uma adolescente de 14 anos e a busca pelo seu primeiro namorado. É claro que algumas coisas bem estranhas e sem noção acontecem no decorrer do filme, mas esse não é o meu foco. Para quem quiser mais sobre esse filme é só clicar aqui. O meu foco é sobre como nós eramos quando tínhamos 14 anos. Na verdade é bem cômico pensar nisso porque creio que eu não lembro de metade das coisas que fiz quando tinha 14 anos. Acho que fui daqueles meninas tristes e tudo mais, creio que boa parte dessa tristeza ainda vive em mim mesmo sem eu saber o porquê da existência dela. 
Mas algumas adolescentes realmente acabam por fazer coisas que até então são inacreditáveis. Por exemplo, quando somos jovens assim temos a certeza de que sabemos de tudo sobre o mundo mesmo sem saber absolutamente nada. Temos a mania de pensar que nossa vida só será completa quando tivermos um namorado, não, quando tivermos um namorado lindo de morrer ou de matar todas as nossas amigas. Se bem que muitas mulheres ainda pensam assim. Temos vergonha de nossos pais e das atitudes deles em relação aos nossos dramas e problemas. A questão é que se eles ficassem o tempo todo tentando acalmar a tempestade que se forma dentro de nós quando algo foge do controle, eles não fariam mais nada da vida. Nessa idade pensamos que o colégio é um inferno, ou um paraíso se você não tem problemas com ninguém. O problema é que todos tem problemas com todos. Aqueles que colocam apelidos e fazem maldades, geralmente sofrem de problemas com eles mesmos e fazem com que aqueles que aparentam não ter problemas comecem a se sentir mal com eles mesmos por conta de coisas que não problemas de maneira alguma. 
É claro que para nós, garotas, existem sempre mais problemas. Como peso, altura, cabelo, cor da pele, maquiagem ou falta de maquiagem, roupas que nos deixem bonitas mas não vulgares, seios ou a falta de seios, cintura fina ou grossa, bumbum grande ou pequeno, voz, espinhas, cabelo (é um problema muito grande, por isso citamos duas vezes), e outras milhares de coisas que não consigo me lembrar mais. Assim, tudo isso fica em nossa cabeça e pensamos que por causa disso ou daquilo nunca teremos nossos lindos namorados. 
Olhando bem, fora esses conflitos, outras coisas são maravilhosas nessa idade. A falta de tanta responsabilidade, a possibilidade de passar muito tempo com a sua melhor amiga, as risadas, o drama que fazemos para nossos pais quando queremos algo, o fato do mundo poder acabar só porque amanhecemos com uma espinha no meio do nariz, a preocupação em parecer madura o suficiente para fazer muitas coisas. É, olhando por esse lado, ter 14 anos não é assim tão ruim. 

Cena do filme Angus, thongs and perfect snogging (20008)
terça-feira, 25 de dezembro de 2012
Olá Pessoas lindas, 

Sim são 1h41 da manhã e nós do When You let Your heart... Estamos aqui para lhes desejar um FELIZ NATAL. Só para constar nós duas (Jess and Ann or Ann and Jess) amamos Natal, somos daquelas pessoas que até sentem o cheiro dele quando ainda falta um mês para ele chegar. Então desejamos a todos os leitores um dia de natal maravilhoso. Aproveitem para passar tempo até mesmo com aquele tio do "é pavê ou é pa cumê", aproveitem suas tias que sempre perguntam do ou da paquera. Aproveitem seus pais, irmãos, primos, sobrinhos, tios e tias, avôs e avós. Aproveitem, pois não há época no ano em que as pessoas se sintam mais abertas ao perdão, esperança e ao amor. 
Nós desejamos de todo coração que você, nosso leitor amado e querido, se sinta mais amado e mais querido ainda. Deixe esse espirito de natal te curar de qualquer mal que ainda te assombre, deixe que a felicidade de estar em comunidade e que a felicidade de estar em família adentre em seu coração. Sorria e deixe que o seu sorriso contagie aqueles que estão a sua volta. Nós amamos muito cada um de vocês e que vocês possam se sentir mega abraçados agora. 

Love always 
Anna and Jess
terça-feira, 18 de dezembro de 2012
Olá Pessoas

Faz um bom tempo que não falo nada sobre a minha trilha sonora não é?! Acho que vocês devem se preparar então, pois agora vai uma bela enchurrada de músicas e já vou aproveitar para incluir as músicas com tema natalino. Não sei se vocês perceberam, mas até o blog está em clima natalino (com cores e tudo). 
Enfim, agora que estou de férias acabo tendo tempo para fazer tudo o que gosto. Então vamos ao que interessa não é mesmo?!

You're gonna miss me - Lulu and Lampshades 
Right Round - Flo Rida (Pitch Perfect version)
Party in the U.S.A - Miley Cyrus (Pitch Perfect version)
Homeward Bound/Home - Simon & Garfunkel (Glee version)
Live While We’re Young - One Direction (Warblers version)
Whistle - Flo Rida  (Warblers version)
Daughters - John Mayer
As long as you love me - Justin Bieber (performance by Carly Rose Sonenclar)
It will rain - Bruno Mars (performance by Carly Rose Sonenclar)
Bruno Mars Medley - Victoria Justice and Max Schneider
Marron 5 Medley - Victoria Justice and Max Schneider
Somewhere Only We Know - Keane (Max Schneider & Elizabeth Gillies)


Agora para as canções de natal (yay)! 
Oh holy night - Celine Dion
Jingle Bell Rock - Mean girls 
Last Christmas - Ashley Tisdale 

Enfim, acho que é só isso pessoal. Se alguém de vocês tiver alguma música que gosta muito e quer vê-la aqui no blog é só colocar o nome da música e o nome do cantor/banda que eu coloco aqui, ok?!
Beijos

sábado, 15 de dezembro de 2012
Pessoas sorrindo, neve caindo, aquele cheiro de chocolate quente e você aqui comigo pensando no que pode estar escondido em meio a esses papeis de presente. Não! Pera! 
Aqui não tem neve caindo e nada de chocolate quente. 
Bem, então vamos mudar. 

Pessoas sorrindo, comerciais ruins na tevê, músicas que não sairão da sua cabeça. Perus e panetones em promoção, mas isso só depois do dia 25. Luzinhas piscando, noites quentes com apenas uma brisa gostosa para afastar todo o suor de nosso dia. Famílias caminhando para ver as decorações de natal. Um espirito que habita em todos e decide sair por aí, uma vontade maior de ajudar, uma vontade maior de ser melhor, não só para si, mas para o resto do mundo. Mais educação, mais sorrisos, mais abraços, mais doações, mais entendimento, mais empregos, menos preocupação com dinheiro, mais vontade de ser feliz e de fazer com que os outros sejam felizes também. 
Natal, minha época favorita do ano, apesar do especial de natal do Robertão. Natal, época em que as noites são mais brilhantes e mais aconchegantes. Posso não ter neve, posso não poder fazer bonecos de neve e nem batalhas épicas em meio a um inverno rigoroso. Mas meu natal nunca foi ruim. E acho que nunca será. Afinal de contas, o natal não é sobre nada disso. Natal não é a época do ano em que a neve é o principal. Natal é sobre ajudar, é sobre doar, é sobre esperar por aquela pessoa tão querida que só vem te visitar nessa época do ano. É sobre entender que não são os presentes ou o dinheiro. Para mim, o natal é para esperar a vinda daquele que deu a vida por mim. É esperar por aquele que me ama mais do que qualquer um nesse mundo. Natal é para passar com aqueles que se ama, é sorrir. 
E para você? O que você vai esperar nesse natal?
segunda-feira, 10 de dezembro de 2012
Sabe qual é o meu medo? Meu medo é chegar um dia e perceber que não fiz nada do que eu quis em minha vida. Perceber que tudo pelo qual eu lutei não foi de nada, pois na verdade eu não queria nada daquilo. Meu medo é perceber que nunca realizei nenhum dos meus sonhos, é pensar que não lutei pelas coisas certas e que minha batalhas foram todas uma bela perca de tempo. 
Meu medo é ver que todos foram e eu fiquei. É perceber que todas as vezes em que pedi por um tempo para mim, não queria dizer que eu estava sendo egoísta e sim que eu realmente precisava desse tempo em minha vida. É ver que algumas vezes é preciso pensar em si antes de pensar nos outros. Entender que não tenho todo o tempo do mundo para "pensar depois". 
Meu medo é terminar a vida sozinha e preocupada apenas com dinheiro e em como conseguir mais dele. Meu medo é perder todos os que amo e perceber que nunca disse que os amo o suficiente. Meu medo é pensar que eu poderia ter amado mais, rido mais, abraçado e beijado mais, pensado menos, me preocupado menos, ouvido menos certas coisas, falado mais certas coisas, me defendido mais, me alegrado mais, reclamado menos, chorado mais ou menos em alguns casos. 
Penso que todos tem esses medos, mas as vezes eles parecem maiores dentro de mim e acho que por isso o meu maior medo é ter medo.