segunda-feira, 18 de março de 2013

Durante toda a minha vida eu só tive gatos. Alguns Bob, porque por algum motivo secreto (ok, não é secreto: o meu desenho favorito era 'O Fantástico Mundo de Bob') eu sempre nomeava meus gatos assim. Foram 4 Bob's. Todos eram pretinhos com manchas brancas. Até hoje não entendo como o destino me presenteou assim, mas só aconteceu.
Me lembro do último Bob. Era bem gordo, e até então o mais mimado. Sumiu numa segunda-feira chuvosa. Jurei que nunca mais teria um outro bichinho.Isso durou um ano, quando apareceu a Lariza. Gatinha mimada, costumava dar cria no meu guarda-roupa e não gostava de dormir dentro de casa. O triste de morar na fazenda é que com frequência os animais encontram seus próprios lugares. E foi assim com minha princesinha. Minha mãe ficou triste, e decidiu que deveríamos parar por ali.
Devo comentar que minha família não é muito firme em decisões desse tipo. Alguns anos depois, fui para um churrasco em outra cidade e encontrei uma moça que estava doando gatinhos. Théo me seguiu até em casa, e foi nosso companheiro durante 7 anos, sumiu no dia 1º de janeiro. Houve também a Channel, a gata mais dengosa de todas, e o Johnny, filho do meu Théo.
Sempre tive um apego tão mágico por meus bichinhos, que me imaginar sem eles era praticamente impossível. Mas até então, gatos sempre foram os meus tchutchucos, sonhos mais lindos. Até que na última sexta-feira, conheci a magia de ter um cachorro.
Nunca pensei que essa coisinha que late e lambe a gente toda hora poderia ser tão dócil e amável. O Nenis (Almofadinha pra vocês) morava em um abrigo, e tem mais outros irmãozinhos. Entrou na nossa vida por causa da página desse abrigo no facebook. Olhamos e o coração bateu mais forte, mesmo o meu, que nunca gostou de cachorros antes. Sem pensar muito, corremos para lá (na verdade, dirigimos até lá, porque é bem longe) e o trouxemos. Ele já acorda todo serelepe, tem uma roupinha super estilosa e é sem vergonha, porque prefere o sofá do que a própria caminha. Olhos nos olhinhos pequenos e brincalhões dele, e tento entender como existem pessoas que não gostam de animais. E penso em como antes eu não gostava de cachorros - todo carnaval tem seu fim, e as opiniões mudam, certo?
E deixo com vocês, um book do filhote mais lindo do mundo todo! 
Gosto de dormir com o Recruta!



Batizado com o padrinho Sabino!

Almofadinha ♥

0 comentários:

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.