Um dia de limpeza.

Acontece de haver tempos em nossas vidas em que acordamos e percebemos que tudo a nossa volta está uma completa bagunça. As vezes essa bagunça está dentro de nós mesmos e se reflete em algum lugar que podemos chamar de nosso. Outras vezes a bagunça, simplesmente, existe. 
Ouvi dizer uma vez que a culpa é como um vazamento e que a melhor maneira de cura-la é encontrando o vazamento e o concertando. Não sei se eu tinha culpa em algo até então, mas sei que hoje, ao acordar, percebi a bagunça  em que meu quarto (minha mente) está. 
Não é fácil levantar e limpar tudo, muitas vezes não sabemos por onde começar. Creio que esse é o maior problema. não saber por onde começar. De repente você começa e acha que tudo está errado e a bagunça parece aumentar de volume, proporção e tudo mais. A duvida é a minha maior inimiga nesses casos. E então do nada, percebo que sei por onde começar. Mas paro do mesmo modo, algo não está certo. Encontro meu erro, resolvo-o e  começo tudo novamente. 
Não sou a pessoa mais organizada do mundo. Mas gostaria imensamente de o ser. Gosto de lugares limpos e organizados, gosto de ordem em minhas coisas. Porém não gosto de rotina. Rotina faz com que as coisas sejam mais tediosas. Amo ter muitas coisas a fazer, entretanto adoro ficar sem fazer nada. 
Hoje eu quis limpar um pouco da bagunça do meu mundo. É complicado viver nele sem saber exatamente onde guardo tudo. Comecei muitos parágrafos com "não" e não disse sim nem sequer uma vez aqui. Estou filosofa hoje e nem mesmo sei o porquê.  Faz pouco tempo que começou a chover aqui, antes o céu estava azul e eu não sei escolher qual desses momentos eu gosto mais. Acho que as coisas começaram a ficar confusas aqui e meu texto não contém uma coerência sequer. 
Limpar meu quarto faz com que eu consiga limpar minha própria mente, me ajuda a manter meus pensamentos organizados e faz com que nenhum acidente mental aconteça. Se isso é normal? Não é, não sou normal e vivo muito bem com essa  certeza! 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curtas para adoçarem o coração.

Sobre finais.