Doutor, é possível morrer de saudades?

É chegada aquela época do ano novamente, ou será que essa será a ultima vez? Eu sempre achei que não sentiria falta, sempre escutei várias pessoas dizendo que momentos assim passam rápido e que quando menos se espera, se sente saudades de tudo. Será mesmo que vou sentir saudades de tudo? Acho que já sinto. Sinto uma saudade terrível que traz lágrimas aos meus olhos e que me faz querer voltar no tempo. 
Quero voltar a primeira vez que nos falamos e vimos que temos muito em comum. Quero voltar ao dia em que ele te disse para cantar "Linger". Quero voltar ao dia em nós três nos sentamos juntas pela primeira vez. Para todas as vezes em que fugimos delas e rimos muito depois. Quero voltar para todas as vezes em que minhas lágrimas foram secadas pelas suas mãos, e para todas as vezes em que pude secar as lágrimas do seu rosto. Quero voltar para nossas noites de filmes e seriados, quero rir e dizer que tal personagem é melhor do que o outro e que ela deveria ficar com ele e não com o outro. 
Nossa, será mesmo que apenas 2 anos foram suficientes para eu conhecer tantas pessoas maravilhosas? Acho que sim. Acho que ganhei várias famílias nesse meio tempo e quando pensei que estava sozinha de vez, senti um abraço de mãe e um abraço de pai dizendo que as coisas ficariam ok e que eu nada devia temer. Afinal de contas todos vocês são presentes de Deus em minha vida. 
É estranho pensar que apenas 3 meses longe já é capaz de deixar um vazio tão grande dentro de mim. O mais estranho é pensar em deixar o que tenho aqui para estar com vocês. Posso trocar as cidades de lugar? Basta alguns ajustes e voilá vocês e eles estariam juntos e eu seria a pessoa mais feliz do mundo. É tenho certeza que se eu fosse colocada em frente ao espelho de Ojesed veria isso. Vocês e eles, eles e vocês juntos e perto de mim. 
Vou chorar de tristeza quando eu partir daqui, mas vou chorar de alegria quando estiver chegando aí. Entendam que eu não mais escolho se gosto mais daqui ou daí, decidi que amo os dois lugares por igual e que sempre irei chorar quando tiver que partir de um deles. Doutor, isso é normal? Como pude sobreviver a esse tempo de indecisão? Como posso viver em apenas um lugar se meu coração quer os dois? Será mesmo que um dia ainda falecerei de amor? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A cada minuto.

Curtas para adoçarem o coração.