Já faz um ano!

Se arrumar, escolher a camiseta com a cor da sua casa. Casaco, bolsa, cartões de ônibus e trem. Verifica tudo de novo, conta os minutos esperando dar a hora de sair... Já faz um ano!
Faz um ano em que eu chorei no cinema. Creio até que aquela será a ultima vez que irei sentir aquela vontade massacrante de chorar em uma sala de cinema. E pensar que se passaram 10 anos... 10 anos é uma vida para alguém da minha idade, para os que não sabem eu faço 20 anos nesse mesmo mês. Lembro o quanto chorei em ouvir ela dizer que deveria escrever mais um. Lembro do quanto chorei quando terminei o ultimo livro. Meu consolo naquela época era saber que ainda haviam os filmes, ainda havia mais um tempo de magia. 
Sem querer eu cresci. Sem planejar me tornei mulher. Como ele desbravei o mundo, na verdade, com ele eu desbravei a minha infância. Com ele eu descobri o que queria ser quando crescer. Com ela eu aprendi a não desistir de meus sonhos, aprendia  lutar pelo o que é certo. Aprendi a ser a melhor aluna, a melhor leitora, a melhor amiga. Com eles entendi que amigos se encontram em qualquer lugar e que basta olhar para o lado e você alguém com aquele livro similar ao seu. Você verá alguém com aquele brilho nos olhos e aquela vontade de comer pudim no jantar. 
Já faz um ano, já fazem 11 anos. Quem diria que ainda continuamos aqui. Quem diria que já somos grandes e ainda nos preocupamos com isso. As vezes eu percebo que tenho pena dessa nova geração, o que ele tem? Qual é o exemplo que eles seguem? Quem é o rei deles? Será que eles tem um escolhido? Uma princesa? Ou até mesmo uma rainha? 
Sei que muitas pessoas acham que é exagero de minha parte chama-los assim. Alguns até dizem que por causa desse meu comportamento, que eles não terão futuro e que serão sempre aquele trio, aquela escritora.  Desculpa sociedade, mas creio que eu não criada para esquecer aquilo que me faz bem. Sim, ainda me faz bem. Me dá vontade de chorar, me dá vontade de rir, me dá saudade. Mas é uma saudade boa não uma saudade do tipo "eu deveria ter aproveitado mais". Acho impossível aproveitar mais do que eu aproveitei.  
Será que isso é amadurecer? Será que eu realmente cresci e entendi o que é ser grande de verdade? As resposta para isso eu não sei, realmente não sei. Algumas pessoas dizem que eu deveria parar de ler ou de assistir e que não vale a pena continuar a viver de algo que já acabou. Mas eu vejo tantas pessoas ainda comigo e me sinto tão bem todas as vezes que me lembro que sempre haverá um lugar para chamar de casa quando o mundo não for mais tão gentil comigo. 
Nesse momento lembro que não estou sozinha e que na verdade faltam só algumas horas para o melhor filme do mundo começar. Pego minha bolsa, me despeço de meus pais. Ao pisar na rua lembro que há alguns anos eu ainda precisava da companhia de um adulto para ir ao cinema. Dessa vez eu sou a adulta e levo alguém muito especial comigo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A cada minuto.

Curtas para adoçarem o coração.